Covid-19 já contaminou quase um milhão em Manaus, mas a cidade será a primeira a imunizar a população, diz estudo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print
O diretor-presidente das Lojas Bemol e ex-secretário de Planejamento do Amazonas, Dênis Minev, anunciou ontem uma atualização do estudo que havia feito na semana passada sobre a evolução do novo coronavírus (Covid-19) em Manaus. Ele estima que 982 mil pessoas já foram contaminadas com a doença, sendo que 120 mil apresentaram algum sintoma. Com base nos números levantados, o empresário acredita que a capital amazonense será a primeira cidade de porte no mundo a atingir imunidade populacional (herd immunity).
Minev usou dados de um estudo do Imperial College London (referência no tema) sobre COVID-19 no Brasil. Também mudou as estimativas que se baseavam em certidões de óbito para volume de enterros em Manaus. “Estimo que o volume de óbitos em Manaus acima do normal foi de 2.755 entre 6 de abril e 13 de maio. Isso equivale a 0,126% dos manauaras”, diz ele.
“Estimo também que o volume de pessoas infectadas em Manaus chegou a 982 mil em 13 de maio, com cerca de 120 mil ativos. Isso equivale a 45% da população já infectada.

Após ler os estudos do Imperial College London, suspeito que Manaus será a primeira cidade de porte no mundo a atingir imunidade populacional. Não vi nenhum caso de cidade com 45% de infectados. Mas é só uma estimativa, e posso estar errado”, ressalta.

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem 4 comentários

  1. claudia

    não existe imunidade populacional se já existem casos de pessoas que pegaram coronavírus pela segunda vez na china. e isso foi divulgado por estudos in loco feito pelos italianos e chineses. não é à toa que a Alemanha está se preparando agora pra segunda onda do coronavírus e aqui no Amazonas não fizemos sequer o primeiro lockdown.

  2. Steila Matos

    Eu creio nessa possibilidade, pois sou uma que teve contato com o vírus no final do mês de março e apresentei sintomas leves, tanto que nem percebi que estava infectada, juntamente com minha mãe de 63 anos e todas as pessoas outras que residem em minha casa, Só soubemos da notícia há uma semana atrás, quando fizemos o exame em laboratório particular e constatou que todos nós tivemos contato com o vírus. Acredito que muitas pessoas já contrariam e nem tem conhecimento ainda. Agora se terá uma nova onda de infecção, eu não sei, mas os médicos que estão lidando com essa questão, dizem que caso isso ocorra, provavelmente os sintomas serão mais leves que os apresentados no primeiro contato, pois o próprio organismo criou anticorpos e combateu o vírus, sem que o paciente precisasse de cuidados médicos ou internação. Espero que este pensamento seja realidade.

  3. Giovanni Silva

    A segunda onda do contato com vírus que ele se refere não são para as pessoas que já foram contaminadas, mas sim para as pessoas que ainda não tiveram contato com o virus e não tomarem as dívidos cuidados que orienta as autoridades de saúde do Estado.

Deixe uma resposta