Coronel que comanda Guarda Municipal ataca delegado

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O coronel PM Antonio Brandão, que comanda a Casa Militar da Prefeitura de Manaus, divulgou uma nota de repúdio hoje contra as declarações do delegado da Polícia Civil Fábio Silva. Durante uma aula de um cursinho de sua propriedade, o policial afirmou que “guarda municipal e merda é a mesma coisa”, para deixar claro que a corporação não fazia parte do sistema de segurança pública.

Não é a primeira vez que Silva causa polêmica. Na semana passada, ele gravou um vídeo ironizando uma blogueira que havia sido presa  sob a acusação de furtar celulares de homens com quem saía. Chamou a moça de “bem feinha” e disse que ela não parava de chorar na carceragem, preocupada com o que os seguidores estariam pesando dela. Depois divulgou outra peça, em que procurava se justificar, dizendo que na verdade queria proteger a imagem da detenta, que era menor de idade. Ele é lotado na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Silva é uma figura controversa dentro da Polícia Civil. Esteve diretamente envolvido em uma operação rumorosa e mal explicada em Presidente Figueiredo e teve passagens muito questionadas pela chefia de gabinete da Delegacia Geral e pelo grupo fera. Na internet, é figurinha carimbada, por causa de sua atividade como professor de concurseiros. Sempre grava vídeos com “conselhos” aos alunos e está sempre na expectativa por novos concursos na Polícia Civil.

Veja a nota pública divulgada hoje pelo coronel Brandão:

“A Casa Militar de Manaus, órgão integrante da Prefeitura de Manaus, vem a público repudiar, de forma veemente, a conduta do delegado de Polícia Civil, Fábio Silva, contra toda a classe dos guardas municipais do Brasil.

Em uma aula realizada no dia 2 de abril de 2019, em um curso preparatório da cidade, o mesmo, que atua também como professor, proferiu ofensas diretas aos guardas municipais, as quais foram gravadas em vídeo e propagadas amplamente em redes sociais. Em seu discurso em sala de aula, Fábio utilizou palavras de baixo calão, com intuito de menosprezar as atividades desempenhadas com afinco por esta instituição em Manaus e outras pelo Brasil. 

A Guarda Municipal de Manaus rejeita qualquer manifestação que venha a denegrir a imagem da instituição e dos servidores que a compõem e se entristece ainda pelo fato de as palavras terem sido proferidas por uma pessoa que atua em sala de aula e que, portanto, deveria ter a obrigação de propagar bons modos. Preocupa ainda o fato de o mesmo se tratar de um membro de órgão integrante do sistema de segurança pública e que, portanto, deveria ajudar a zelar pela integridade de toda e qualquer instituição que componha o sistema. 

Vale lembrar que a honrosa história da Guarda Municipal de Manaus teve início em 15 de junho de 1949 e segue até hoje ilibada, posto que possui servidores extremamente dedicados e zelosos tanto com a segurança de bens e do patrimônio público do município de Manaus, quanto de sua população. Cabe à Guarda Municipal a missão de manutenção da ordem pública nos parques, praças, órgãos e espaços públicos, onde presta atendimento imediato à sociedade. 

Portanto, não nos calaremos perante tamanha afronta e estaremos de sentinela exigindo o tratamento respeitoso que sempre fizemos por merecer. 

ANTONIO JÚNIOR DE SOUZA BRANDÃO

SECRETÁRIO MUNICIPAL CHEFE DA CASA MILITAR”

Qual Sua Opinião? Comente:

Este post tem 2 comentários

  1. NEY M CARDOSO

    Infelizmente a guarda municipal de Manaus não as devidas qualificações profissionais e tão pouco preparo físico e mental. As escolas municipais e os prédios públicos municipais não tem a presença da Guarda Municipal. A prefeitura gasta milhões de reais com monitoramento de câmeras e segurança patrimonial, mais utiliza a Guarda Municipal de Manaus.

  2. Anônimo

    Realmente hoje a prefeitura gasta milhões com o sistema cose. E não dá a devida atenção para aguarda municipal.

Deixe uma resposta