CONSELHOS PARA O BOM USO DO VOTO

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

00Na velha maneira de fazer Política, ouvimos dizer que ocorriam, na Política, negociações do tipo: atrair benefícios para determinados grupos, como a doação de terrenos, algum tipo de financiamento facilitado, obter concessões de rádios e TVs, ter tratamento especial perante a lei… Esses são apenas alguns tipos de barganhas, “acertos”, acordos e composições de interesse que costumavam (costumam!) ocorrer nos bastidores em épocas de campanhas eleitorais.

Em contrapartida a essa realidade, uma visão de Política que é exercida com legitimidade, do povo e para o povo, vem exatamente com a proposta de atender ao clamor da sociedade por uma política decente, ordeira, honesta, limpa, ética.

Assim sendo, entendo ser urgente a tarefa de contribuir para que o processo eleitoral não continue sendo margeado pela esperteza dos aproveitadores, a ganância dos poderosos, o continuísmo dos mesmos, os sofismas dos “espertos” e a tola submissão dos desavisados, que resultaram numa sociedade em desagregação que tolera coisas intoleráveis.

Como parte dessa contribuição, apresento aqui alguns conselhos, dicas, que considero fundamentais sobre o bom uso do voto.

  1. O seu voto é inegociável e intransferível. Com ele, você terá a oportunidade de expressar sua consciência como cidadão. Por isso, o voto precisa refletir a compreensão que você tem de seu País, Estado e Município.
  1. O eleitor deve pautar a sua consciência política nos princípios e valores da moral e da ética, apesar dos contextos sociais desafiadores vividos em nossos dias.
  1. Aqueles que exercem papel de liderança na sociedade (professores, líderes comunitários, sacerdotes, pastores…) têm obrigação de orientar os cidadãos sobre como votar com ética e discernimento. No entanto, a bem de sua credibilidade, o líder deve evitar transformar o processo de orientação política numa ação de manipulação e indução político-partidária. Observe que a diversidade social, econômica e ideológica que caracteriza os diversos setores da sociedade impõe que sejam conduzidos processos com a devida organização, respeito e sabedoria visando o apoio aos candidatos ou partidos dentro do ambiente vivido, evitando o constrangimento dos eleitores (o que é criminoso) e zelando para evitar a manipulação da comunidade.
  1. Nenhum eleitor deve sentir-se obrigado a votar em um candidato pelo simples fato de ele se autodenominar defensor de causas A ou B. É preciso tomar cuidado para não votar em alguém que está apenas aproveitando a oportunidade, mas não tem compromisso político, quer apenas o mandato, um emprego. O eleitor deve observar se os candidatos são pessoas lúcidas e comprometidas com as causas da justiça e da verdade. E mais: é fundamental que o candidato queira eleger-se para propósitos maiores do que apenas defender os interesses imediatos de um grupo. É mesquinho e pequeno demais pretender eleger alguém apenas para defender interesses restritos às causas temporais de uma instituição, organização, comunidade… Ao defender os direitos universais do homem e a democracia, o político estará exercendo com integridade seu mandato.
  1. Os fins não justificam os meios. Portanto, o eleitor não deve jamais votar em um político só porque obteve a promessa de que, em assim fazendo, conseguiria alguns benefícios para seu grupo de interesse ou para si mesmo.
  1. Nesse processo de construção de valores políticos, devem ser observados os papéis com muita prudência. No âmbito político-partidário, ouça a opinião dos outros, principalmente daqueles que exercem liderança sobre você, como a palavra de alguém que, assim como você, é um cidadão. Analise seus argumentos e decida seu voto com base na sua consciência política.

Finalmente, quero considerar que precisamos estar atentos aos destinos da nossa sociedade e agir com maturidade, equilíbrio, mas, também com muita garra, sabendo que, nas próximas eleições, mais uma vez, vamos decidir o futuro da nossa cidade. Nós não podemos ser omissos muito menos errar nas escolhas.

Marcel Alexandre

Político e Líder Cristão

Marcel Alexandre, apóstolo do Ministério Internacional da Restauração, vereador em Manaus no segundo mandato e um dos maiores ativistas do twitter na cidade.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta