Concurso Nacional Unificado vai levar em consideração o registro profissional de Economista

O Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM), junto ao Conselho Federal de Economia (Cofecon), obteve êxito na articulação para incluir o requisito de registro profissional para os aprovados no Concurso Nacional Unificado (CNU) do Governo Federal, nos cargos designados como Economista.

A alteração no Edital 06/2024 do CNU foi proposta pelas entidades, conforme o que especifica a Lei 1.411/51, que dispõe sobre a profissão de Economista. Segundo a norma jurídica, só podem exercer a profissão as pessoas devidamente registradas em um dos Corecons.

O presidente do Corecon-AM, economista Márcio Paixão, explica que diante da falta da obrigatoriedade de registro exposta no edital do CNU, o Corecon-AM somou esforços junto ao Sistema Cofecon/Corecons pela mudança, tendo em vista a importância do CNU para a inserção dos economistas em posições estratégicas no serviço público.

“Nós ajuizamos um processo junto ao governo, e recebemos o retorno de que, felizmente, foi aprovado. Então, o edital foi retificado e incluído que o economista que passar no concurso deve ter o seu registro ativo junto ao Conselho Regional de Economia. Isso é uma vitória do Conselho e dos economistas”, afirma o presidente.

O edital retificado diz respeito ao Bloco 6 do CNU, para os cargos B6-09-A, B6-10-B e B6-11-A, nos ministérios da Gestão e Inovaçãoe em Serviços Públicos, do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços e do Planejamento e Orçamento, respectivamente. O mesmo pode ser acessado no link https://bit.ly/4bK9uZj.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta