Com quase 100 anos, ela recebe o título da casa e explica longevidade: “não fumo nem bebo”

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

20150717163311velinha_de_100_anos

Após quase 50 anos vivendo na rua São Tomé, no bairro São Raimundo, zona oeste de Manaus, a aposentada Conceição Marinho de Oliveira, que completa 100 anos no dia 26 de setembro deste ano, recebeu o título definitivo de propriedade do imóvel. “Eu e mais duas famílias fomos morar no São Raimundo quando ainda era só mato. Depois foram chegando mais pessoas. Criei sozinha os meus filhos, morando no bairro”, lembra.

Mãe de sete filhos, Conceição não aparenta a idade que tem. Ela diz que mora sozinha, perto de duas filhas e netos.  Apesar de estar perto de completar 100 anos de idade, Conceição afirma que ainda faz todas as tarefas de casa: limpa, cozinha, lava roupa e até costura. Natural de Jutaí, município amazonense, ela dá sua receita para a longevidade: “Não bebo, nem fumo”, diz.

O secretário executivo da SPF, Lúcio Moraes Carril, explica que o título definitivo do imóvel garante segurança jurídica sobre a posse da propriedade, além de possibilitar o acesso às inúmeras políticas públicas e de crédito em agências de fomento, como a Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam) e o Basa, e também bancos privados. “Sem o título definitivo, a pessoa tem a posse do terreno, mas não é o legítimo proprietário. Isso só acontece quando elas têm o título e ele é registrado em cartório”, observa.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta