Codam adia reunião por causa da pandemia, mas investidores não terão prejuízo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Em função das medidas sanitárias vigentes em Manaus e no Amazonas, decorrentes da pandemia da Covid-19, o Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas (Codam) decidiu por adiar a 289ª reunião ordinária, que estava agendada para o dia 24 de fevereiro (a primeira do ano) para a data de 29 de abril de 2021. Desta forma, ao invés de seis reuniões como acontecem todos os anos, o Codam realizará apenas cinco reuniões ao longo de 2021.

De acordo com o titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), Jório Veiga, que também é o vice-presidente do Codam, todas as próximas reuniões estarão condicionadas às condições sanitárias vigentes. Contudo, sem qualquer prejuízo para os investidores.

“Ressaltamos que não haverá prejuízo para os investidores, porque todos os projetos que forem apresentados e que passarem em todas as fases do rito normal do processo de análises, serão aprovados ad referendum (decisão aprovada previamente pelo presidente do Codam e que será referendada, posteriormente, por todo o Conselho em reunião)”, enfatizou o secretário.

Para os investidores que têm interesse em implantar fábricas no Polo Industrial de Manaus (PIM) e que ainda não encaminharam seus projetos, o Conselho irá receber os documentos até a data limite de 14 de abril, para que os mesmos sejam analisados e, caso aprovados, sejam colocados em pauta durante a reunião.

Com o adiamento da 289ª reunião ordinária, a perspectiva da Sedecti é de receber mais de 60 projetos referentes a investimentos para Manaus e para o Estado do Amazonas, uma vez que a média do número de projetos que são submetidos ao Conselho em períodos normais é de 40. Até o último dia 9 de fevereiro, a Sedecti recebeu 47 projetos que se encontram em análise.

Crescimento em 2020

Mesmo com o impacto da pandemia da Covid-19 sobre a atividade econômica no mundo inteiro, o Polo Industrial de Manaus (PIM) se manteve como destino preferencial para novos investimentos em 2020.  Na última reunião realizada pelo Codam, em 17 de dezembro de 2020, a de número 288ª, o órgão contabilizou a captação de recursos avaliados em R$ 10,5 bilhões, distribuídos por um total de 203 projetos industriais aprovados, representando um aumento de 88% em relação a 2019, quando foram apurados R$ 5,58 bilhões aplicados em novos empreendimentos no mercado local.

Para o secretário Jório Veiga, os bons resultados obtidos pelo Codam em 2020, mesmo com as incertezas do mercado com a pandemia, representaram o reflexo da frente exitosa formada por investidores e pelo Governo do Amazonas.

“O mérito é dos investidores que assumiram os riscos em um momento de grande insegurança para bancar seus projetos; e que puderam contar com o apoio fundamental do Governo do Estado, que não mediu esforços para minimizar o impacto sobre o setor produtivo”, destacou, à época, Veiga.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta