Cenas que esperávamos não ver mais: tendas de triagem de volta aos hospitais

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Recurso utilizado no pico da pandemia para melhorar o fluxo de atendimento de pacientes com sintomas respiratórios, tendas externas de triagem voltam a funcionar nos Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) 28 de Agosto e Platão Araújo a partir desta semana. A estratégia foi bem sucedida durante o pico da pandemia no estado e, por isso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) está se antecipando na instalação da estrutura, para futuras necessidades.

Para o atendimento da população, uma equipe multiprofissional, com assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, dará apoio nas tendas.

Os profissionais serão disponibilizados pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Secretaria Municipal de Saúde (Semsa-Manaus) e Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), além da SES-AM.

De acordo com a coordenadora do Gabinete de Resposta Rápida da SES-AM, Josiani do Nascimento, as estruturas vão melhorar a triagem na porta de entrada das unidades de urgência e emergência, dando mais qualidade e agilidade ao atendimento prestado para a população.

“As tendas têm o objetivo de ajudar na segregação dos pacientes de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). Isso inclui Covid-19, todas as SRAGs específicas e não específicas. Atender, fazer uma triagem de forma ordenada e também garantir a segurança desses pacientes, porque é uma tenda aberta, vai ter um conforto para atendimento melhor desses pacientes”, explicou.

Durante o pico da pandemia, a implantação das estruturas gerou avanços na identificação de pacientes que se enquadravam nos sintomas de Covid e seu encaminhamento, quando necessário, para internação, diminuindo inclusive exposições ao vírus.

“(As tendas) vão ter profissionais qualificados para o acolhimento das famílias como assistente social, psicólogo, técnico de enfermagem, enfermeiros e, se possível, médicos, caso aconteça alguma coisa que a gente tenha que dar prioridade ao paciente dentro dessas tendas”, disse Josiani.

FOTO: Rodrigo Santos

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta