CARTA PARA REBECCA

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

02Prezada Rebecca

Hoje cedo, lendo os jornais e veículos da nossa cidade, deparei-me com comentários, antes de tudo, falaciosos, levianos e mal intencionados, acerca de sua posição no que diz respeito à nomeação de um cargo de confiança, ao que se viu, tornada sem efeito por um vicio na forma, mas que deverá ser publicada novamente, coisa normal na administração pública, que, por seus ” Técnicos”, todos estáveis e sem compromisso com custo é resultado, erram muito mais do que a privada.

Chamou minha atenção alguns comentários, visivelmente mal intencionados, deselegantes e desinformados, que, preconceituosamente, tentam, a meu ver, inutilmente, diminuir o papel e a importância de Rebecca Garcia na Suframa, posto que, no exato momento em que sabia da notícia da revogacão da Portaria, Rebecca, que para muitos xiitas, não é “técnica”, foi a única superintendente a visitar (de verdade) o Distrito Agropecuário da Zona Franca, desde 1967, em Rio Preto da Eva, onde está, 2/3, da área rural abandonada pelos “técnicos” da Suframa, e me refiro como visita, à percorrer ramais, adentrar propriedades, a ver usuários e ouvir pessoalmente dezenas de usuários finais de um sistema sem nenhuma transparência, que deixa cidadãos desde 1977 esperando resposta de processos administrativos (e são centenas), que tolera que funcionários (técnicos) da Suframa titulem áreas para si mesmos, seus parentes e outros apaniguados sem critério e sem fiscalização.

Rebecca realmente não é técnica, e graças a Deus por isso, por que vai emprestar muito do compromisso com metas e resultados que o setor privado tem e que jamais foram objeto do funcionamento da Suframa, ao menos não para o setor primário e suas 15.934 pessoas.

Rebecca já fez história na Suframa e ela é positiva, com certeza não é o bloco das viúvas da época do descontrole e da Suframa que se mexia como um paquiderme que vai diminuir seu papel, nem a competência técnica de sua sólida formação, pois nem Cristo agradou aos fariseus, nem ela irá agradar aos péssimos servidores que todo órgão público tem; ela já encontro compreensão e solidariedade profissional com aqueles que querem uma Suframa dinâmica, indo a campo, acelerando o PPB, tornando seus processos eletrônicos, transparentes, céleres, deixando nas áreas agrícolas das ZF, trabalhadores de uma indústria à céu aberto, como é a agricultura, na bela definição do Dr Muni Lourenco.

Não torcia pela Rebecca, mas por tudo o que for bom para o setor produtivo de Rio Preto da Eva, mas, fora da seara eleitoral, já que ela não é candidata a nada neste momento, por Justiça, reconheço que, felizmente, Rebecca Garcia, é uma bela surpresa, ao menos para os que não a conheciam com mais profundidade, como gestora, como pessoa e principalmente como ser humano, e isso ficou mais que provado com o interesse e o trabalho que vimos pessoalmente numa sexta-feira de infindáveis reuniões internas na Suframa, que nunca trabalhou tanto, nunca atendeu a tantos e tao bem.

Todos da área rural da área da Suframa, principalmente os mais humildes, como o Birro, um pequeno produtor de melancias, de 86 anos, que esperam uma resposta da Suframa pela regularização da terra que ocupa, comprovadamente, desde 1964 (antes da criação da Suframa) e que requereu desde 1977, torcem pela Suframa com Rebecca Garcia, ou por alguém com seu perfil, ou seja, que não seja um “Técnico”, pois de outro jeito, voltaríamos a inconsequência, a ineficiência e ao descaso com o setor agropecuário.

Siga tranquila Rebecca, você já fez pela Suframa coisas que os Técnico nem imaginam naquele universo onde há um compromisso com a qualidade, com eficiência, e com o resultado.

O setor agrícola da Suframa, com milhares de cidadãos esquecidos pelos “técnicos”, que moram em ramais intransitáveis, sem água potável, sem esgoto tratado, sem escolas, sem posto de saúde, sem lazer, que, apesar de toda adversidade, trabalham duro, plantando e colhendo todos dias, para abastecer a mesa dos “técnicos”, que nunca aguentariam 15 minutos da sua jornada, no sol escaldante do Amazonas, agradece e torce para que, fundamentalmente, sejas feliz, e, talvez isso não queira dizer ser a Superintendente da Suframa, pois você é muito mais que isso.

Ricardo Gomes

Morador da área rural do Distrito Agropecuário

Rio Preto da Eva – AM

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta