Campanha visa preservação dos periquitos que habitam em área de Manaus

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Conhecer para preservar. É com esse intuito que a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) lançou, nesta quarta-feira (23/12) a Campanha “Céu Vivo”, em prol da preservação dos periquitos-de-asa-branca, que costumam migrar para a zona urbana de Manaus nesse período do ano e utilizar as árvores da avenida Efigênio Salles, na zona centro-sul, para pernoite. Nesta tarde, uma ação de conscientização foi realizada junto a moradores e pedestres da via.

A proteção dos periquitos-de-asa-branca ganhou repercussão após centenas de indivíduos da espécie morrerem em decorrência de um atropelamento em 2014. Entretanto, todos os anos, problemas semelhantes voltam a se repetir durante a tradicional queima de fogos de fim de ano, conforme explica o pesquisador ornitólogo Mario Cohn Haft, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

“Pássaros, de modo geral, são muito delicados. O coração deles bate mais rápido e a explosão de fogos para eles é assustadora, podendo causar paradas cardíacas e matar um grande grupo de uma única vez, além do fato de que muitos se acidentam fatalmente na tentativa de fugir do estrondo”, explicou.

De acordo com o médico veterinário Eduardo Marques, do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), os resgates de animais silvestres, incluindo os periquitos-de-asa-branca, aumentam no final do ano em decorrência dos fogos de artifício.

“O Ipaam faz o acompanhamento junto com a Sema da situação desses animais. Esses periquitos estão entre os animais mais resgatados nessa época e essa ação é uma forma de nos anteciparmos a esse problema, convocando os moradores a fazer parte dessa causa também”, pontuou.

Segundo a mestre em ecologia e assessora técnica do Núcleo de Educação Ambiental da Sema, Dayse Campista, a proposta da campanha é fortalecer a rede de proteção da espécie, que migra anualmente, desde 2011, para a área urbana da cidade e se instala, de setembro a março, nas árvores da Avenida Efigênio Salles. É nas imediações da via onde os periquitos encontram alimento, descanso e segurança, após o fim do seu ciclo reprodutivo em áreas de várzea.

“O objetivo da campanha é fazer o cidadão, principalmente os moradores da zona centro-sul de Manaus, em especial da Avenida Efigênio Salles, somar conosco nas ações de proteção dos periquitos-de-asa-branca, sobretudo durante as festas de fim de ano, em que muitos acabam se acidentando fatalmente durante as queimas de fogos”, disse.

Durante a ação de conscientização, moradores receberam uma carta-convite para aderirem à campanha “Céu Vivo” e incentivar, em seus condomínios, comemorações de fim de ano sem fogos de artifício ou apenas com uso de rojões silenciosos. O material está disponível no site da Sema, por meio do link http://bit.ly/CampanhaCéuVivo.

Grupo de trabalho

Em 2019, a Sema criou um Grupo de Trabalho (GT) para tratar sobre a temática dos periquitos-de-asa-branca, visando o estabelecimento de estratégias para proteção da espécie Brotogeris versicolurus – nome científico da ave –, que divide espaço entre os prédios, carros e árvores da Avenida Efigênio Salles, no bairro Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Participam do grupo o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), a Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Caama/Aleam), a Wildlife Conservation Society (WCS), Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e outras instituições, além de condôminos da Avenida Efigênio Salles.

Além da campanha, as atividades do GT incluíram, neste mês, a poda das árvores da avenida e, também, a instalação de placas para redução da velocidade dos condutores na via. Interessados em atuar como voluntários no Grupo de Trabalho podem entrar em contato com a Sema por meio do e-mail [email protected].

FOTO: Reprodução/Anselmo D’Affonseca

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta