Campanha pretende reduzir em 20% consumo de água nas escolas

A Prefeitura de Manaus lançou um desafio a alunos, professores e servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed) para reduzir em 20% o consumo de água e energia. Essa é a ideia principal da Campanha de Combate ao Desperdício lançada nesta segunda-feira, 5/6, durante a abertura da 2ª Semana do Meio Ambiente da Educação, no Parque Cidade da Criança, Aleixo, zona Centro-Sul. Práticas de economia na gestão municipal fazem parte das orientações do prefeito Arthur Virgílio Neto a todos os gestores dos órgãos municipais.

Com a campanha de Combate ao Desperdício de Água e Energia da Semed, a meta é atingir 20% na redução de água e energia. O  projeto envolverá todas as 490 escolas da rede municipal de ensino e tem o objetivo de buscar, junto às unidades de ensino, estratégias para o consumo consciente de água e energia, bem como gerar redução de gastos e, consequente, economia, à gestão de contas públicas da secretaria.

Entre as frentes de atuação, estão o acompanhamento diário de consumo de água e energia; trabalho de conscientização com escolas, mostrando histórico de consumo dos últimos anos; palestras em parceria com a Eletrobrás Amazonas, ações corretivas sobre resultados negativos e/ou poucos satisfatórios e painéis mensais de verificação dos resultados obtidos de consumo.

“As nossas 490 escolas estão participando dessa iniciativas. No final do ano, as 10 escolas que se destacarem na redução dessas contas serão homenageadas com o troféu Gaia”, informou a secretária da Semed, Kátia Schweickardt.

A Semana

Em 2017, a Semana do Meio Ambiente da Semed tem como tema ‘Meio Ambiente: Conhecer para Mudar, Agir para Transformar’ e pretende envolver aproximadamente 4 mil pessoas, entre alunos, educadores, gestores e servidores da Semed, além de parceiros, convidados e o público em geral, que poderá prestigiar o evento.

A coordenadora das Ocas do Conhecimento Ambiental da Semed, Gina Gama, disse que a Semed realiza um grande trabalho na questão ambiental, principalmente na contribuição para conscientizar os alunos e as comunidades do entorno das unidades de ensino.

“A secretaria já trabalha na área curricular a questão ambiental, mas atua na parte não formal, desenvolvendo, atendendo nossas crianças no contraturno com atividades socioambientais, sensibilizando as comunidades no entorno dos nossos espaços com oficinas sustentáveis e atividades que combatam os desperdícios”, frisou.

Trabalhos

O evento contou com exposição de 30 projetos, dos quais 14 são desenvolvidos ao longo do ano letivo em escolas da rede municipal e 16 por empresas, instituições públicas e privadas  que têm um trabalho voltado à conscientização ambiental no Estado.

A Escola Municipal Marly Barbosa Garganta, localizada na Colônia Terra Nova, zona Norte, apresentou o projeto ‘Desafios e potencialidades de horta orgânica: um laboratório vivo para o ensino de Ciências’, desenvolvido por alunos do 6º ao 9º ano. O projeto beneficia 1,5 mil pessoas, segundo o professor de Ciência, Francisco César Brito Vieira. “Temos aproximadamente 40 alunos voluntários. Na horta, não usamos nenhum agrotóxico porque agride o meio ambiente e os alunos levam para casa essa gama de informações”, disse.

O aluno do 5º ano, Jhoncley Menezes Correia, 9, da Escola Municipal Áureo Nonato, na comunidade Alfredo Nascimento, bairro Cidade de Deus, zona Centro-Sul, apresentou o projeto “Reciclando e Recreando”. De acordo com o estudante, participar das atividades do projeto é um grande aprendizado. “Aprendi que não se deve jogar coisas no lixo, porque tudo pode ser reciclado. Falo com meus pais sobre tudo isso que aprendi, eles dizem que o correto é fazer isso”, contou.

O público contou ainda com atividades lúdicas e de entretenimento, como  o show do  grupo Garis da Alegria da Semulsp, teatro de fantoches, sessão de fotos da fauna amazônica,  tirolesa com o Grupo Suçuarana e parede de escalada.

Fotos: Lton Santos/ Semed

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta