Bolsonaro tira a BR-319 das mãos de Menezes e nomeia funcionário dos Correios para a função

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O coronel reformado do Exército Alfredo Menezes, ex-candidato a prefeito de Manaus pelo Patriota, mais uma vez não conseguiu fazer valer a sua alegada amizade com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Ele havia anunciado que assumiria a superintendência regional do Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (DNIT), mas ontem foi publicada a portaria número 48, do Ministério da Infraestrutura, que nomeia para o cargo o funcionário dos Correios Smith Mozart Delmond Silva, a quem caberá agora o comando das obras de pavimentação da BR-319 (Manaus-Porto Velho), uma das joias dessa coroa.

Curiosamente, Menezes acabou de fazer percorrer, com equipe de vídeo, todo o trajeto da rodovia, cuja pavimentação é a principal promessa do presidente para os amazonenses e roraimenses, que sonham com a ligação por terra com o restante do Brasil, hoje prejudicada pelo péssimo estado da pista, especialmente no chamado “trecho do meio”, uma extensão de aproximadamente 500 quilômetros que é objeto de intensa luta entre ambientalistas e desenvolvimentistas.

O blog tentou ouvir o coronel, mas não conseguiu. Aliados dele dizem ainda não entender o que mudou. Em abril do ano passado Menezes foi apeado do cargo de superintendente da Suframa em função da articulação de parte da bancada federal do Amazonas. Depois, obteve o apoio formal do presidente Jair Bolsonaro em sua campanha a prefeito de Manaus. Terminou em quinto lugar, com pouco mais de 110 mil votos, uma votação considerada expressiva para quem nunca havia disputado uma eleição.

Em várias ocasiões o coronel tem se mostrado íntimo do presidente. Recentemente participou até de um almoço no Palácio da Alvorada, em um sábado, convidado do próprio Bolsonaro. Na foto que divulgou do evento (acima) aparece abraçado ao ministro da Infraestrutura, Tarciso Freitas, o mesmo que ontem assinou a portaria de nomeação de Silva. Mais uma vez, no entanto, o militar amazonense é preterido.

Nos bastidores de Brasília consta que desta vez a “rasteira” foi aplicada pelo deputado federal Delegado Pablo (PSL), que seria o responsável pela indicação.

 

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta