Aumenta (demais) o número de prefeitos cassados por corrupção

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O “Grupo” é grande, mas (felizmente) deve aumentar, e o Amazonas tem candidatos pegando senha e entrando na fila…


vereadores corruptos

Como vim de uma geração que anda pela casa do meio século (só o dono do blog esconde a idade por aqui…), originária de um período, ao mesmo tempo difícil pela falta de liberdade de expressão e de informações transparentes, e, noutro giro, fantástico pelo alto índice de mentes criativas nas áreas do Jornalismo da literatura, quando não havia nem sinal de tv a cabo, internet e outras modernidades que, se por uma lado trouxeram “facilidades” inquestionáveis, de outros mandaram faturas infelizes, como a redução no hábito da leitura e o empobrecimento da linguagem, ocorrendo que, sem essas ferramentas, a criatividade e a imaginação das ultimas gerações, veio perdendo qualidade à olhos vistos.

No nosso período de infância, lá pelos anos 70, havia uma história curiosa com o impagável Paulo Gracindo, chamada de “O Bem Amado”, interpretando o pitoresco e singular Prefeito Odorico Paraguassú, onde o autor, Dias Gomes, como sempre, dava um show, com situações inusitadas, nas quais o Prefeito de Sucupira, sempre dava uma aula de “Sucupirês” e de falcatruas malucas.

Hoje, analisando o Prefeito os episódios do prefeito sucupirense, pelo lado da Administração, não teria a mesma desenvoltura em várias cidades do Brasil. Mecanismos modernos de controle dos atos de gestão, Legislações que se aperfeiçoam a todo instante, visando preservar a qualidade do gasto público,  transparência das receitas e despesas; informações em tempo real;  Promotores bem preparados e atuante; e, fundamentalmente: uma imprensa com liberdade de expressão, de mãos limpas ,  conservando uma distância sanitária da Côrte, para elogiar o que merece e não se omitir de criticar o que for irregular.

Outro ponto interessante, é que quatro décadas depois da obra de ficção, vários personagens reais, Prefeitos de carne e osso, em Municípios verdadeiros numa aula de mau caratismo como nem um vilão conseguiu ser, resolveram fazer de verdade, o que nem um autor de estórias teria coragem de se quer imaginar: atacar e saquear verbas consideradas especiais, intocáveis pela Constituição Federal, ou seja, Saúde, Educação e o salário dos Servidores.

Segundo estatísticas oficiais, há uma curva crescente, de maneira impressionante de Prefeitos cassados por atos de má gestão (desvios) de recursos públicos nos últimos 5 anos, devendo o número total chegar próximo dos 300 neste exercício.

verbas

Ricardo Gomes de Oliveira, um dos mais aguerridos advogados de Manaus, famoso por já ter interrompido licitações fraudulentas e por comprar a briga de categorias profissionais discriminadas pelo status quo.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta