Ator de São Gabriel da Cachoeira quer seguir os passos do “padrinho” Wagner Moura

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Aos 16 anos de idade, o jovem ator Remy Sampaio, nascido em São Gabriel da Cachoeira, na região do Alto Rio Negro, no noroeste do Amazonas, alimenta o sonho de um dia se profissionalizar como ator e viver exclusivamente dessa atividade. Ele, que será o entrevistado desta sexta-feira (18/12), no programa “Quem é você na fila do pão?”, conta que se identifica um pouco com o histórico de vida do ator amazonense Adanilo, que alcançou projeção nacional atuando no longa-metragem “Marighella”, dirigido pelo ator Wagner Moura.

O talk show “Quem é você na fila do pão?” é comandado pela personagem Filó, a Básica, interpretada pelo ator e diretor Paulo Queiroz, e integra o projeto cultural “Quem é você na fila do Pão? – Edição Norte-Sul/Leste-Oeste”, concebido por Paulo Queiroz. A iniciativa foi contemplada na Lei Aldir Blanc, no edital do Prêmio Manaus de Conexões Culturais 2020, na categoria Teatro, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) da Prefeitura de Manaus.

Remy Sampaio participa do projeto na categoria Audiovisual e tem como padrinho artístico o ator Adanilo, que também participa da entrevista que será exibida nesta sexta-feira no Instagram (@quemevoce.nafiladopao), no Facebook (Quem é você na fila do pão?) e no YouTube (Quem é você na fila do pão?).

“Enquanto nós esperávamos a nossa vez de entrarmos para gravar a entrevista, nós conversamos muito e vimos que temos algumas coisas em comum, como o fato de ambos vivermos na periferia, em locais onde as pessoas consideram perigoso, e as dificuldades que as pessoas da periferia passam para conseguir sobreviver, conseguir trabalho etc. Ele foi criado na periferia assim como eu, por isso ele sabe como é o dia a dia de quem vive nessas áreas”, comentou Remy.

Trajetória

Remy conta que veio para estudar em Manaus quando era criança. Inicialmente, morou com os pais no bairro São Jorge, e estudou no colégio Marquês de Santa Cruz, no bairro São Raimundo, onde deu os primeiros passos na arte de interpretar, participando de uma peça de teatro sobre a abolição da escravatura. Foi a partir dessa apresentação, que surgiu o convite para o jovem participar do elenco do curta-metragem “Zana, o filho da mata”, da Plonger Produções, dirigido por Augusto Gomes.

Depois aos 14 anos, voltou para São Gabriel da Cachoeira, onde passou dois anos. Lá, participou de várias manifestações artísticas sobre lendas e mitos indígenas, dentre eles o Fest Tribal, em 2019. Em dezembro de 2019, ele retornou para Manaus, desta vez para morar com a irmã, no bairro Jorge Teixeira. Agora, ele continua os estudos do ensino médio na Escola Municipal Roberto dos Santos Vieira, onde cursará, em 2021, o 1º ano.

Atualmente, além de estudar e esperar uma nova oportunidade de atuar em peça de teatro ou cinema, Remy trabalha em sociedade com o seu cunhado, com quem abriu um pequeno negócio: uma borracharia e chaveria, de onde provêm os recursos para se manter. “Eu sofri um acidente de moto e me atrasei nos estudos porque tinha de fazer fisioterapia todos os dias. Mas, agora, já estou recuperado e continuo estudando. Pretendo, um dia, conseguir me profissionalizar como ator, talvez quem sabe até fazer a faculdade de Teatro ou Artes Cênicas, mas, por enquanto, estou focado nos meus estudos e no meu trabalho, mas espero mais na frente conseguir fazer uma faculdade de Teatro”.

Adanilo

O ator e diretor Adanilo iniciou a carreira em Manaus, atuando em peças de teatro de grupos locais e em filmes de curta-metragem. Antes de morar no Rio de Janeiro e de receber o convite para fazer teste para participar do longa-metragem “Marighella”, Adanilo deu os primeiros passos no cinema atuando em curtas-metragens da Artrupe Produções, como “A Menina do Guarda-Chuva”, entre outras. No Rio Janeiro, o amazonense integra o grupo Teatro Galeroso, no qual participa de peças, como “Bicho Doido”.

Equipe técnica do projeto

A equipe técnica do projeto é composta por Paulo Queiroz (direção e intérprete de Filó, a Básica), Narda Telles (produção), Denys Cauper (assistente de produção), Thiago Queiroz (assistente de produção), França Viana (assistente de produção), Alê Ferraz (design e identidade visual), Chamel Flores (cinegrafia, fotografia e edição de imagens), Eugênio Lima (maquiagem), Jonatas Sales (figurinos), Cleide Monteiro (costureira) e Guilherme Gil (assessoria de comunicação).

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta