Arthur não foi atacado no debate e segue agenda pesada nas ruas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Um detalhe chamou atenção no debate de ontem na Band Amazonas: o nome do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), não foi citado nenhuma vez. Ele não recebeu ataques, embora alguns candidatos tenham criticado setores da administração, prometendo solucionar problemas. O candidato apoiado por ele, Alfredo Nascimento (PL) teve que se defender basicamente de acusações dirigida às suas gestões na Prefeitura e no Ministério dos Transportes. Enquanto a eleição ainda não pega fogo, o chefe do Executivo Municipal cumpre uma agenda mais pesada do que qualquer postulante à sua sucessão, inaugurando e fiscalizando obras.

Hoje, as obras de recuperação viária do Distrito Industrial 1, na zona Sul, foram retomadas pela Prefeitura de Manaus, após a solução de questões burocráticos e assinatura da repactuação do contrato. O prefeito vistoriou o início dos trabalhos na avenida Autaz Mirim, conhecida como Grande Circular, onde assegurou a celeridade e a conclusão dos trabalhos na área.

“O asfalto volta a correr no Distrito Industrial, agora, com todos os problemas resolvidos, as medições feitas e os recursos em caixa. E vamos com todo o vapor para concluir o mais rápido possível. Os investidores vão ver que estamos falando muito sério, quando dizemos que esse é um bom endereço para fazer negócios, gerar emprego e preservar a Amazônia”, disse o prefeito, acompanhado do superintendente da Suframa, general Algacir Antônio Polsin, e do titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Kelton Aguiar.Arthur Neto agradeceu os esforços feitos pelo ex-superintendente da autarquia para garantir os recursos para as obras, mas destacou a conduta do atual superintendente em resolver todos os problemas pendentes e dar andamento aos trabalhos. “Eu e o general queremos transformar o Polo Industrial de Manaus em uma área de visitação. Vamos cuidar do essencial e dos pormenores”, afirmou o prefeito.

O superintendente destacou a importância da parceria para a Zona Franca de Manaus. “Acho fundamental trabalharmos em parceria, em todos os sentidos. A parceria com a Prefeitura de Manaus é fundamental nessa revitalização do Distrito Industrial, que vai sair com qualidade. Só pedimos um pouco mais de paciência, mas teremos um polo industrial revitalizado, capaz de atrair negócios e turismo”, garantiu Polsin.

A operação de retomada envolveu uma força-tarefa de homens e máquinas para garantir maior celeridade aos trabalhos. “Estamos em três frentes, aqui na Autaz Mirim, que já inicia a pavimentação; na avenida Solimões, estamos com a fresagem e fazendo terraplenagem e outras áreas. Os outros lotes já estão fazendo a mobilização dos equipamentos para reiniciar as atividades”, explicou o secretário da Seminf, Kelton Aguiar.

Além de 35 vias em todo o Distrito Industrial 1, o pacote inclui também a reconstrução das rotatórias da Suframa, já entregue à população, totalmente reconstruída com pavimento rígido, e a rotatória da Samsung, também revitalizada nos mesmos padrões.

Conforme a repactuação, os recursos destinados às obras são de R$ 136 milhões, por parte do governo federal via Suframa, e a Prefeitura entra com uma contrapartida de R$ 20 milhões, incluindo a iluminação de lâmpadas a LED e os projetos de paisagismo. “Teremos um Distrito Industrial à altura dos investidores que nos vêm visitar”, completou Arthur.

Paisagismo

A partir do convite do general Polsin para que a presidente da Comissão Especial de Paisagismo e Urbanismo, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, fosse madrinha do Polo Industrial de Manaus, os trabalhos de recuperação viária do Distrito Industrial passaram a contar também com melhorias nos passeios públicos, que contarão com plantio de mudas ornamentais, recuperação de calçadas e outras ações de urbanismo.

Na avenida Ministro João Gonçalves Dias, as ações de paisagismo já começaram, como na calçada em frente à Suframa, que está recebendo a plantação de 70 mudas da espécie arbórea oiti.

“Faremos esse trabalho no Distrito, com muito zelo e com muito amor por Manaus. Mas serão quase 40 espaços públicos que receberão vida nova por toda a cidade de Manaus, incluindo o plantio de mudas ornamentais, recuperação de meio-fio e calçada e outros detalhes paisagísticos dos canteiros”, concluiu a presidente da Comissão, Elisabeth Valeiko.

Quadra de esportes

“Parece pequena, mas é uma obra de grande valor social”, definiu o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ao entregar a quadra poliesportiva da comunidade Vila Mamão, bairro São Francisco, zona Sul, na manhã desta sexta-feira, 2/10. O espaço é parte das obras, anunciadas pelo prefeito, como parte das comemorações dos 351 anos da capital do Amazonas, festejado no dia 24 de outubro. “Quero entregar uma ou duas por dia durante o mês”, afirmou.

O prefeito Arthur Neto destacou ainda o seu grande apreço pelo bairro São Francisco e, especialmente pela Vila Mamão, cuja obra integra um pacote de aproximadamente 40 nas áreas de esporte e lazer, que devem ser entregues até o fim do ano. No local, Arthur disse guardar grandes recordações, principalmente dos embates históricos com, à época, seu adversário político, Gilberto Mestrinho.

“A Vila Mamão era um reduto dividido e tinha uma presença marcante da líder comunitária conhecida como Lucimar Mamão, por sua ligação com essa comunidade, hoje minha grande amiga. Essa é uma área que merece todo o respeito e uma obra pequena como essa, mas de grande valor social, é o resultado de recursos públicos bem aplicados em favor da comunidade”, destacou.

Localizada na rua Vasconcelos Chaves, a quadra ocupa uma área de 200 metros quadrados, tendo recebido serviços de melhorias, entre pintura geral, substituição elétrica e de gradil, reforma geral dos banheiros e copa. O valor da obra é de R$ 131 mil. A última reforma na quadra aconteceu há 20 anos. Além da prática esportiva, o espaço também é usado pela comunidade para eventos sociais como bingo, arraial, aniversários e até casamento.

A inauguração integra a programação do aniversário de 351 anos de Manaus, que contará com ampla agenda de entrega de obras e outras atividades simbólicas. Como já divulgado anteriormente, a tradicional festa de Aniversário da Cidade foi suspensa este ano, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Investimento

A Prefeitura de Manaus está investindo, aproximadamente, R$ 15 milhões na reforma e construção de, aproximadamente, 40 espaços esportivos. Os espaços são de coordenação da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), que absorveu as políticas de Esporte e Lazer.

As obras de reformas são, na maioria, serviços de instalações elétricas, pinturas, troca e construção de cobertura, recuperação de gradil e alambrados, além de recuperação das salas administrativas, banheiros, entre outras melhorias. As empresas prestadoras dos serviços seguem as orientações das autoridades de saúde, para evitar o contágio do novo coronavírus entre os trabalhadores.

Indígenas

O prefeito de Manaus deu posse ontem a seis Agentes Indígenas de Saúde (AIS), em caráter emergencial, para atuarem diretamente no apoio à saúde nas comunidades indígenas localizadas em contexto urbano de Manaus. Esta é a primeira vez que a prefeitura contrata profissionais de saúde exclusivos para o atendimento às comunidades indígenas, conforme estabelecido no Plano Municipal de Enfrentamento à Covid-19.

“É um gesto de valorização. Ninguém melhor que eles para fazer esse trabalho tão importante e que vai se somar ao que vem sendo realizado pelas Unidades Básicas de Saúde Fluviais, que fazem a atenção primária nas áreas ribeirinhas e vão nos dar uma noção melhor do que está acontecendo neste momento da pandemia”, disse o prefeito. “É a real manifestação do nosso respeito pelos indígenas, responsáveis por mais de 10 mil anos de história e conhecimento da nossa terra”, destacou. “Vocês vão proteger as etnias e seus antepassados, vidas humanas e tradição cultural milenar”, completou aos novos agentes em solenidade realizada no auditório da Casa Militar, bairro Compensa, zona Oeste.

Arthur voltou a criticar a artificialidade dos números da pandemia, incluindo no Amazonas, com casos Covid-19 sendo subnotificado como outras doenças respiratórias. “Isso é ruim para todos e fica pior ainda quando se trata do interior”, afirma. A Prefeitura de Manaus concluiu a última etapa do trabalho de investigação de 654 óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) Não Especificada, ocorridos em Manaus nos meses de abril e maio. Do total de casos, 345 foram reclassificados para Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

O prefeito manifestou, durante a solenidade, o seu desejo de que a atenção básica, nos próximos três meses, consiga atingir 70%, ficando entre os primeiros colocados em atenção básica em todo o país. Ele voltou a atribuir o crescimento dos indicadores de atenção básica, que em julho chegou a 64,09%, à implantação da Escola de Saúde Pública, que veio a fortalecer as ações de atenção primária adotadas nos últimos 8 anos. “Nós crescemos porque fomos buscar essa ideia em Palmas e implantamos em Manaus e isso deu um salto quantitativo e qualitativo na saúde municipal”, afirmou.

Tomaram posse os novos agentes Carlos Daniel Rodrigues, Jurandir Niconar Alfredo, Luarda da Silva Batista, Nelcilene Lopes de Almeida, Romário Fidelis e Tatiana Costa da Silva. “Este é um incentivo a mais para ajudar e valorizar os povos indígenas. São várias culturas que precisam dessa assistência básica, que o prefeito Arthur tanto valoriza. Espero, junto com os outros, ajudar a informar sobre prevenção e, principalmente, salvar vidas”, contou a agente Tatiana Souza.

Eles foram recepcionados pelo secretário municipal de Saúde, Marcelo Magaldi. “Desejo a todos vocês sucesso nessa jornada, que já começa segunda-feira. É mais uma ação para o combate à pandemia e ao fortalecimento da atenção básica de saúde, junto à população indígena”, saudou o secretário. “Vocês vão ter um treinamento com o pessoal da atenção básica e da saúde indígena e vão ser nossos olhos e nossas mãos junto à comunidade indígena”, informou.

Três Distritos de Saúde receberão dois AIS cada, sendo dois no Norte, na Policlínica Ana Barreto (comunidades indígenas Wotchimaucu / Tikunas, na Cidade de Deus) e UBS N-29 (comunidade Paixubal, no Santa Etelvina); dois no Disa Leste, na UBS Avelino Pereira (comunidade Nova Esperança Kokama – kokama, koiama, juruna, tikuna, mura e dessana) e UBS Silas Santos (comunidade Grande Vitória – kokama); e dois no Oeste UBS O-47 (comunidade Parque das Tribos/Tarumã – Parque das Nações Indígenas/Tarumã – tikuna, miranha, tukano, mundurucu, saterê-maué, mura, kokama, apurinã, baré, tapuia) e UBS O-06 (comunidades Waikiru/Saterê-Maué, na Redenção e bairro da Paz).

Também como parte das ações voltadas à atenção indígena, 28 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da capital serão equipadas com medicamentos, exames, testagem e equipamentos para atender, aproximadamente, 30 mil indígenas das zonas urbana e rural de Manaus. A iniciativa se deu a partir do pedido de ajuda do prefeito Arthur Virgílio Neto aos países ricos, por meio da campanha “SOS Amazônia”, durante o pico da pandemia no Estado e foi ouvido pelo governo alemão, via Cáritas, que destinará recursos na ordem de R$ 4 milhões, para o município realizar ações de prevenção à Covid-19 entre a população indígena.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta