Arrecadação maior indica que o pior já passou, diz deputado de oposição

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Estudioso dos números estaduais, o veterano deputado Serafim Corrêa (PSB) disse hoje que a arrecadação do Amazonas cresceu R$ 818,94 milhões no primeiro semestre de 2020, em meio à pandemia “Quando você compara outros Estados com qualquer que seja o indicador, seja ele em relação ao PIB (Produto Interno Bruto) ou número de habitantes, você vai ver que a nossa arrecadação vai muito bem e obrigado. Creio que o pior, em termos econômicos já passou”, disse ele.

De janeiro a junho de 2019, o Amazonas arrecadou R$ 8,78 bilhões. Já no primeiro semestre de 2020 foram R$ 9,60 bilhões. Portanto, o crescimento foi de 9,32%. “Se imaginarmos que isso vai dobrar, até o final do ano, e deve ser mais do que dobrar, nós teremos um incremento de arrecadação de mais de R$ 1,63 bilhão”, explicou o deputado.

Apesar da crise, de acordo com dados divulgados pela Receita Federal, o mês de junho teve maior volume de vendas do ano. “Creio que em relação à receita, as coisas melhoraram e melhoraram significativamente, mas o nosso problema está na despesa”, apontou Serafim.

O que vem preocupando o parlamentar são as despesas descontroladas. Segundo ele, as investigações da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) apontam para isso. O parlamentar ainda disse que a CPI não objetiva prejudicar o governo, mas buscar transparência nas contas públicas. ­­

“Todos os dias vemos coisas absurdas e quando identificamos isso, não estamos querendo derrubar o governo. Estamos querendo ajudar o governo. Ainda não consigo crer que isso era de conhecimento do governador, do vice e dos secretários. Creio que eles estão sendo vendidos nesta operação pelo sétimo escalão”, afirmou Serafim.

“Nota dez para a Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda), mas na área da despesa, a situação está delicada”, finalizou.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta