Alemães acenam com investimento de R$ 50 milhões em bioeconomia no Amazonas

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Representantes do Sistema Sepror estiveram reunidos, nesta sexta-feira (08/10), com diretores do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW) para discutir e iniciar tratativas que irão resultar no investimento de R$ 50 milhões em financiamentos de atividades voltadas à bioeconomia no Amazonas. O encontro foi na sede do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam), zona sul de Manaus.

Para o secretário de Produção Rural do Amazonas, Petrucio Magalhães, o setor primário é importante nesse contexto. “Temos como fazer a produção de alimentos de forma sustentável, temos cadeias produtivas Pda Amazônia e que podem agregar valor. Nosso plano de governo está alinhado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU)”, ressaltou.

O diretor-presidente do Idam, Valdenor Cardoso, destacou a importância de inserir os pequenos produtores nas políticas de desenvolvimento rural.

“No universo do público atendido pelo Idam, cerca de 97% são micro e pequenos produtores do ponto de vista econômico e que precisam melhorar sua estrutura de produção. Esse público precisa de um tratamento especializado e, hoje, nós temos um desenho mais ajustado de planejamento das políticas setoriais, que seguem a determinação do governador Wilson Lima, que é justamente atender aqueles que mais precisam”, enfatizou Cardoso.

O Idam tem trabalhado nos 62 municípios do Amazonas com 22 Projetos Prioritários para cadeias produtivas de potencial identificadas no estado, que apresentam critérios de expressiva produção, produtividade, infraestrutura de beneficiamento e condições efetivas de mercado. Entre as cadeias produtivas de expressão econômica e que irão nortear os primeiros passos da Cooperação Financeira da Alemanha estão: o açaí, o abacaxi, o guaraná, o pirarucu de manejo, o cacau, o café e a castanha-do-Brasil.

“Queremos compartilhar com o Sistema Sepror essa iniciativa ligada ao desenvolvimento da nossa bioeconomia com uma produção verde e organizada, resultando na floresta em pé. Escutamos aqui muitas ideias e propostas, que já são uma boa base para pensarmos no próximo passo. O KfW quer oportunizar ao governo do Amazonas empréstimos financeiros com juros baixos e também doar R$ 15 milhões como incentivo para agricultura e assistência técnica” destacou o diretor da KfW Brasil, Martin Schroder.

FOTO: Kevyn Sousa

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta