Advogado preso hoje teria vazado para clientes operações sigilosas da Polícia Civil

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O advogado Euler Barreto Carneiro foi preso hoje pela manhã em seu escritório, no bairro Campos Elyseos, em Manaus, acusado de vazar operações sigilosas da Polícia Civil para clientes envolvidos nelas. Isso teria possibilitado a fuga de alguns alvos. Para ter acesso às informações, ele se valeu da senha de um estagiário do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), também preso, mas sem identidade revelada ainda.

Segundo a Polícia, Carneiro, que é considerado um advogado polêmico em Manacapuru, por causa de suas postagens nas redes sociais denunciando desmandos da Prefeitura local, acessava a área privativa do site do TJAM, antecipava as operações autorizadas pelos juízes e desembargadores e vendia a informação a criminosos.

A operação que redundou na prisão dele foi denominada Spy (espião, em inglês). A Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Amazonas, foi avisada e acompanhou todos os procedimentos.

“O objetivo foi acabar com a organização criminosa que desviava informações de ações policiais em andamento, por intermédio de uma senha que dava a eles a possibilidade de acessar os processos, inclusive em sigilo de Justiça, e depois revendiam essas informações para narcotraficantes”, explicou a delegada geral de Polícia, Emília Ferraz.

Conforme o delegado Rafael Allemand, titular da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, foram cumpridas quatro ordens judiciais, sendo dois mandados de prisão temporária e dois mandados de busca e apreensão. O estagiário de Direito, de 29 anos, foi preso na residência dele, no bairro Alvorada, também na zona centro-oeste da cidade. Na operação, foram apreendidos notebooks e pen-drives.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta