A dois dias do final da janela partidária, meio político está em ebulição: Solidariedade sai da influência de Roberto Cidade e PDT se aproxima de David Almeida

Faltando dois dias para terminar o prazo de filiação partidária para quem pretende disputar a eleição deste ano, o meio político em Manaus entrou definitivamente em ebulição e a disputa pelo controle dos partidos consome todo o tempo dos principais pré-candidatos a prefeito da capital. Nas últimas horas os principais movimentos envolveram as legendas Solidariedade e PDT. Enquanto o primeiro saiu do controle do presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cidade (União Brasil), por decisão judicial, o segundo mudou de rota e não deve mais lançar o médico indígena Israel Tuyuka para disputar a Prefeitura, por influência direta do Diretório Nacional, que orientou o apoio ao prefeito David Almeida.

Um mandado de segurança. Pedido de tutela provisória de urgência em caráter liminar foi impetrado por Layanne Raquel Samuel Silva de Oliveira, presidente da Comissão Executiva Provisória do Solidariedade do Município de Manaus/AM contra ato praticado pelo presidente, nacional Eurípedes Gomes de Machado Júnior, que tirou a militante do posto e instalou nele o vereador Bessa, aliado de Roberto Cidade. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) reconheceu o pleito e devolveu a ela a direção municipal da legenda, que deve agora firmar o lançamento do ex-deputado Ricardo Nicolau a prefeito de Manaus.

Oliveira é aliada do presidente regional, o superintendente da Suframa, Bosco Saraiva, principal articulador da candidatura de Nicolau. Veja ao final da portagem a decisão, na íntegra.

Mudança de rota

O PDT, que ensaiava o lançamento da candidatura de Tuyuka, mudou de rota depois que o prefeito David Almeida conversou com os dirigentes nacionais da legenda. Eles orientaram o apoio ao atual mandatário, o que foi sacramentado em reunião na manhã de hoje. O partido deve ocupar espaço na administração municipal e pode indicar o candidato a vicwe-prefeito.

Há uma articulação para que o atual vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, assuma a direção regional da legenda. Esta é, até aqui, a manobra mais bem sucedida do prefeito em busca de uma legenda com expressão nacional. Ele espera ainda contar com o apoio do PSD e do MDB, mas ainda haverá conversar definitivas com os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga, que comandam as duas legendas no Amazonas.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta