A difícil trajetória

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Atravessamos talvez o momento mais difícil da história dessa nação. Uma legião de patifes impatriotas nos deixou como legado um país com os cofres vazios, sem esperança, sem rumo e com seus poderes constitucionais e instituições republicanas contaminados pelo vírus da corrupção . Esse vírus é tão mortal quanto ao Covid-19, pois enquanto esse destrói a curto prazo a matéria orgânica ceifando vidas preciosas e deixando milhares de lares enlutados, o da corrupção também causa os mesmos danos e
outros mais, porém durante longo período , pois surrupia recursos indispensáveis as ações de saúde, educação, segurança, saneamento básico, etc.etc. setores que se  dispusessem de recursos financeiros suficientes poderiam minorar em muito o sofrimento do povo mais carente.

O maior de todos os males que ele causou ao povo brasileiro foi atingir mortalmente o seu sistema comportamental, destruindo nossos valores morais, não tendo poupado nem ao menos a verdade. Por todo esse descalabro cometido por governos petistas, pagamos e ainda vamos continuar pagando uma conta muito alta. Deus com sua magnitude Divina já nos concedeu o perdão por esse pecado monstruoso, pois afinal de contas, só uma parte do povo foi responsável pela perpetração desse genocídio .No entanto, para expiação de nossos pecados, determinou que permanecêssemos caminhando a esmo durante um longo período, tal como fez o “judeu errante da lenda secular”. Velhacos impatriotas, ladrões e perdulários que até há pouco tempo conduziram o destino dessa nação iludindo o povo apedeuta com falsas promessas de um novo Éden, o crime hediondo que vocês cometeram contra essa nação e seu povo é imperdoável, malditos sejam!

O legado que os militares deixaram para essa nação continha os ingredientes necessários para um caminhar seguro pela larga avenida dos bons princípios que a levaria inevitavelmente ao porto seguro do progresso. Porém, para a concretização de seus objetivos escusos e materialização de seu projeto criminoso, esses canalhas precisavam fazer algo de mal que destruísse os valores dessa nação, e o que fizeram? Induziram o povo a deletarem o sentimento patriótico que existia , execraram a vergonha e a honradez, trocaram a verdade pela mentira , pregaram e incentivaram a indisciplina, relegaram o amor a segundo plano e em seu lugar semearam o ódio. Esqueceram Deus e o substituíram por seus falsos líderes, conseguiram acabar com a unidade nacional uma das características que nos diferenciava das demais nações do mundo ao implantarem o sentimento divisionista de raças, credos, ideologia de gêneros , etc.etc.

Observando os últimos acontecimentos relativos a exoneração de Ministros de Estado, tenho me esforçado para entender as razões de tanta celeuma em torno de um assunto tão corriqueiro nos países democráticos, inclusive no Brasil. Apenas para tratarmos dos governos petistas já que são os primeiros a questionarem as nomeações feitas por Bolsonaro, lembramos que, Lula e Dilma trocaram seus ministros mais de setenta vezes .Palocci e Guido Mantega por serem considerados homens de total confiança do PT, ao serem pressionados pela Justiça, para salvarem a própria pele, abriram a boca e confessaram toda a roubalheira perpetrada pelos petistas. Pois bem, esses ilustres senhores que ocuparam cargos de ministros nos oito anos do governo Lula e durante os mandatos de Dilma, repentinamente o PT os transformou de santos em demônios, tal como hoje fazem com Moro; antes demônio e agora quase canonizado por eles e pela mídia.

Mas, voltemos ao assunto das nomeações de auxiliares do presidente. Por que somente agora a substituição de auxiliares do executivo tanto incomoda a oposição e aos demais poderes da república e ainda é motivo de questionamentos da imprensa, se essa prerrogativa é inerente ao executivo conforme determina a Carta Magna? O fato dos nomeados serem amigos do presidente e pessoas de sua inteira confiança não os impede legalmente de serem nomeados ministros. O próprio ministro do STF que hoje questiona essas nomeações, foi indicado por seu amigo Temer que, preterindo uma série de ilustres juristas de outros tribunais superiores, pesou mais o fator amizade para a sua nomeação. Onde está a coerência dos fatos? A escolha de auxiliar do presidente é feita em observância ao seu grau de competência para o cargo e de sua relação de amizade e confiança para com ele. Em razão de preceitos constitucionais, o presidente nomeia e demite quem ele quer. Isso ocorre em todos os níveis da administração pública. Ou não? Utilizar artifícios jurídicos para impedir um ato legalmente praticado pelo executivo, se caracteriza em ingerência indevida de um poder sobre o outro, ou no mínimo ato provocativo.

Estariam esses fatos ocorridos ultimamente relacionados com as chamadas “ forças ocultas” que levaram Getúlio Vargas a cometer o tresloucado ato do suicídio e a fazer Jânio Quadros renunciar? O médico quando se depara com um paciente com quadro clínico extremamente grave sem qualquer chance de tratamento clínico não hesita um só momento em apelar para a medida extrema que é a extirpação do mal através de intervenção cirúrgica. A meu ver, o Brasil é um paciente que se encontra na UTI acometido de leucopenia comportamental. Diante da gravidade do quadro, o cirurgião “Messias”( o que não opera milagres), não hesitou um só instante em utilizar o seu bisturi para extirpar o mal que ameaçava de morte o paciente “ Brasil”.

É imperativo que as nossas gloriosas Forças Armada eternas guardiãs da Constituição mantenham-se vigilantes para evitar que pessoas, poderes e instituições com interesses pessoais escusos e de viés ideológico esquerdista/marxista, inconformados com a perda do poder através do voto , tentem investir contra a Democracia e a liberdade de nosso povo. Se assim não fizerem, pelo andar da carruagem, logo mais os nossos oficiais superiores irão ocupar na cadeia o lugar dos bandidos que lá estão.

A busca dos valores perdidos, a eliminação da pandemia que tantos lares tem deixado enlutado e a recuperação da nossa economia destroçada pelo vendaval de gestões fraudulentas, é uma travessia muito difícil que teremos de empreender para alcançarmos o bem e afogarmos o mal ,porém com fé, trabalho e honradez haveremos de conseguir.

O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!

*O autor é empresário aposentado

 

Qual Sua Opinião? Comente: