A alavanca e o ponto de apoio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

O célebre filósofo, físico, matemático, astrônomo e inventor grego Arquimedes disse certa vez: “Dai-me uma alavanca e um ponto de apoio e eu moverei o mundo”.

Esse silogismo matemático nos força a tirar uma conclusão incontestável; A força em sua forma genérica é muitas vezes maior quando associada a dois ou mais fatores. Quem sabe se isso não é uma forma de Deus nos mostrar que somos muito mais fortes quando associados uns aos ouros do que agindo sozinhos? Afinal, como somos animais sociáveis por condição genética, quando nos unimos, somos como um feixe de varas, ninguém os quebra. É fácil demonstrar que a alavanca quando manuseada por mãos atléticas tem o poder de mover determinados objetos de grande peso, porém quando fixada em um ponto de apoio, mesmo não sendo tão forte a força física de quem a maneja, sua resultante é muitas vezes centuplicada.

Nesse momento de extrema fragilidade em que se encontra a nação brasileira tendo em vista o divisionismo implantado em solo pátrio por apátridas desprovidos de quaisquer valores morais, nos preocupa muito ver tudo isso agregado a outros desacertos que flutuam ao sabor dos vendavais que açoitam as águas revoltas do mar encapelado onde soçobra o barco da nação. Essa onda avassaladora de fatores desagregadores movidos por enormes interesses econômicos, tentativas de implantação de ideologias de conteúdo contraditório distanciadas das nossas tradições seculares e pela prevalência das vaidades pessoais que pretende implantar um ativismo que se sobreponha aos interesses maiores da pátria, tem contribuído cada vez mais para a degenerescência da raça e destruição de seus valores basilares . Para que possamos varrer esse entulho que se encontra sobre o solo pátrio e deixar como legado às gerações futuras uma pátria livre e limpa, necessitamos mais do que nunca nos associarmos em torno de um só objetivo: Deus, Pátria e Liberdade , e seguirmos os caminhos por onde for conduzido por mãos limpas e puras o pavilhão nacional . Como podemos identificar se quem irá desempenhar a missão sublime de conduzir o maior símbolo da pátria, é um homem puro? Dizia Thomas Jefferson: “Quando os homens são puros, as Leis são desnecessárias; quando são corruptos, as Leis são inúteis”. A vida pessoal e política de nosso presidente tem sido trilhada de conformidade com os princípios da honestidade e do trabalho e seguindo os ensinamentos prescritos nos mandamentos de Deus. Pela graça de Deus e pela vontade soberana do povo brasileiro escolhemos um presidente dotado de bons sentimentos cristãos, de mãos limpas e coração puro. Portanto, talhado para desempenhar uma missão dessa envergadura.

Atropelando todos os princípios da razoabilidade e da lógica, ainda é possível encontrarmos pessoas desprovidas dos sentimentos da verdade e da justiça que renegando a verdade, procuram denegrir a imagem de um homem íntegro, atribuindo-lhe defeitos que somente a cegueira de uma ideologia desconexa consegue vê-los. Somente a loucura tem explicações para esse tipo de procedimento. Dizem que a morte perguntou para a vida:” Por que todo mundo te ama e me odeia”? E a vida respondeu: “ Porque eu sou uma linda mentira e você, uma verdade dolorosa”. Provavelmente nesse conceito filosófico encontremos resposta para essa falsa loucura coletiva.

Esperamos que após o naufrágio das falsas ideias e dos conceitos injustos, àqueles que contribuíram com a hecatombe dos bons sentimentos e dos reais valores, possam ver com os olhos da razão através do retrovisor da história a mentira submergir e a verdade flutuar. Quando isso acontecer, o nosso presidente conseguirá trabalhar em paz utilizando a alavanca do progresso apoiada nos valores morais e cristãos e assim movimentar essa nação para frente para colocá-la no contexto das maiores nações do
mundo, lugar que já deveria estar ocupando há muito tempo.

*O autor é empresário aposentado ([email protected])

Qual Sua Opinião? Comente: