A agonia de um rio

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Por Dauro Braga*

Agoniza em seu leito de morte por falta de cuidados preventivos, o velho Chico! O mais importante dos rios brasileiros do ponto de vista da integração regional. Reunido o Senado da República para discutir o aumento da área de atuação da CODEVASF e a implementação de novas ações preservacionistas e desenvolvimentistas social e econômica da bacia dos rios S. Francisco, Parnaíba , Paraíba e outros rios de somenos importância para aquele ecossistema, vimos um significativo número de Senadores mostrar pouco conhecimento da real importância da revitalização das margens desse rio e de seus vários afluentes como sendo a prioridade de todas as ações, sem o que não haverá a perpetuação da vida desse ecossistema.

Como discutir novos projetos de irrigação, transposição de águas, construção de novas hidroelétricas e ampliação do sistema de capacitação d’água para fornecimento às novas populações se o precioso líquido rareia cada vez mais nesses rios? Note-se que há mais de três décadas, a morte do S. Francisco e de outros rios que estão sob a jurisdição da CODEVASF vem sendo anunciada e nada tem sido feito no sentido de revitalizar suas margens. A ação danosa de pessoas que só visam os resultados econômicos e financeiros imediatos, e do próprio poder público quando pela omissão permite o desmatamento criminoso das margens desse rio e de seus vários afluentes, tem trazido como consequência a redução do volume d’água dos mesmos e com isso o assoreamento de seus leitos, princípio desse estado agonizante. Só esse fato já deveria ser suficiente para sinalizar ao mais incompetente dos técnicos em meio ambiente e recursos hídricos, a morte antecipada do velho Chico e de tantos outros que compõem a bacia hidrográfica sob o domínio da CODEVASF. O que fizeram? Nada! Continuaram a desmatar as margens do S. Francisco o mais importante dentre os demais e a implementar projetos de irrigação, transposição de águas e construção de hidroelétricas, sem se preocuparem que tiravam e continuam tirando do velho rio agonizante mais água do que ele podia dá.

O Rio S. Francisco é a principal horta do sistema circulatório hídrico do sertão árido do Brasil por onde corre o sangue dos nordestinos que vivem nos estados banhados pelo mesmo. Senhores responsáveis pela CODEVASF, não deixem que esse sistema venha a infartar por falta de cuidados preventivos. O mal já foi detectado, as técnicas de cura são conhecidas, portanto, falta somente determinação política e sentimento patriótico para curá-lo, ou assistir passivamente o formidável enterro do velho Chico e do sonho de milhões de brasileiros.

Que o novo governo se sensibilize com a grave situação do São Francisco e tome as imediatas providências para retirá-lo do leito de morte, pois nele repousa a única esperança de milhões de brasileiros de ver o nordeste se libertar para sempre da indústria da seca que sempre foi manipulada a bel prazer pelos coronéis políticos, donos de currais eleitorais utilizados para eleger políticos corruptos que depois de eleito iam ocupar cargos no executivo em Brasília de onde canalizavam as verbas públicas para manterem vivo o círculo da corrupção que engordava suas contas bancárias.

Esse tempo está passando! Que as forças da razão e do amor à pátria sobrepujem os interesses escusos que sempre alimentaram a indústria da seca, e os raios fúlgidos da esperança voltem a brilhar no céu da pátria nesse instante.

*O autor é empresário aposentado ([email protected])

Qual Sua Opinião? Comente: