‘Uma Tarde no Museu’ e #MuseumSelfieDay movimentam Museu da Cidade
21/01/2019 19:22 em Música

Uma dupla atividade realizada pela Prefeitura de Manaus movimentou Museu da Cidade de Manaus, no Paço da Liberdade, nesta quarta-feira, 16/1. O Fundo Manaus Solidária realizou mais uma edição do projeto “Uma Tarde no Museu”, com visitas guiadas. E, seguindo a tendência mundial, os visitantes que estiveram no local participaram da ação #MuseumSelfieDay, organizada pela Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult).

No projeto “Uma Tarde no Museu”, a iniciativa visa proporcionar momentos de cultura, lazer, entretenimento e inclusão a crianças, jovens e idosos de bairros periféricos, em situação de vulnerabilidade ou atendidos por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos. Desta vez, foram beneficiados 15 idosos do Lar São Vicente de Paulo, localizado no bairro São Raimundo, zona Oeste de Manaus.

Para o gestor do Museu da Cidade, Leonardo Novelino, independentemente de quem adentre ao museu, essa pessoa deve ser recebida com muita alegria e empatia. “A nossa abordagem é leve e muito franca. Queremos que todo manauara sinta que o museu é seu segundo lar”, explica.

“Fazia muito tempo que eles não visitavam um museu”, comentou a assistente social do Lar São Vicente de Paulo, Dijeane Sena. “Essa visita proporciona um incentivo para que eles socializem e aproveitem as oportunidades. Antes eles não tinham essa condição de ir a um museu. Eles estão mais felizes, porque amam passeios. Sempre falam o que viram quando chegam ao lar”, contou.

Para a coordenadora do Serviço Social do Fundo Manaus Solidária, Virna Martiniano, é possível observar diferenças significativas entre o primeiro e o segundo grupo contemplados pelo projeto. O primeiro grupo foi formado por crianças e adolescentes do Lar Batista Janell Doyle.

“As pessoas mais novas têm o primeiro contato com o museu, então entendem o que é um museu, qual a importância dele, para que serve. Já os idosos vão ao Museu para rememorar o seu cotidiano na cidade. A presidente do Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, idealizou o projeto como um momento de interatividade com a história e cultura da nossa cidade, e hoje pudemos constatar na prática que isso realmente acontece”, afirmou, acrescentando que, desde que o prefeito Arthur Virgílio Neto inaugurou o museu, no dia 24 de outubro de 2018, várias ações são desenvolvidas para estimular a visitação, que na última semana ultrapassou o número de 15 mil visitantes.

Uma dessas demonstrações é a história de Gonçalo Cardoso, 73, ex-servidor da Guarda Municipal de Manaus. Seu Gonçalo relembrou dos dias em que trabalhou no local onde hoje funciona o Museu da Cidade e que à época abrigava a sede da Prefeitura de Manaus. Ele rememorou também os passeios que realizou pela praça Dom Pedro II, no Paço Municipal.

Quando questionado se estava gostando do passeio, logo abriu um sorriso largo para demonstrar a satisfação. “Foi uma surpresa, nem sabia que vinha para cá. Não sei como o coração não parou”, riu. “Está tudo diferente. A estrutura não mudou, mas mudou a beleza das pinturas, as vidraças. Há muitos anos que não venho nessa área. Não existe nada igual a isso aqui”, falou emocionado.

Apesar de alguns problemas de memória, Gonçalo relembrou do “seu tempo” com facilidade. “Trabalhei uns oito anos na prefeitura como Guarda Municipal. O nosso comandante da Polícia Militar era um homem chamado Constantino Nery. E olha como está registrado ali!”, Gonçalo riu e apontou para a escada dos fundos do museu, onde se encontra uma homenagem ao prefeito Constantino Nery. “Matei a saudade que estava da praça. O coração está leve”, finalizou.

COMENTÁRIOS