Delphina Aziz, Getúlio Vargas e 28 de Agosto abrem novos leitos para casos de Covid-19

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O governador Wilson Lima (PSC) entregou, nesta quarta-feira (30/12), 10 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no Hospital Delphina Aziz. A unidade, que é referência no tratamento da doença, passa a contar com 150 leitos para pacientes com Covid-19. Com a entrega, a unidade registra um aumento de 300% de leitos de UTI, desde o início da pandemia em março, quando contava com 50 leitos.

“Hoje nós estamos entregando mais 10 leitos. Só nesse andar aqui funcionam 30. Agora é importante que as pessoas tenham consciência de que os números têm aumentado significativamente no estado do Amazonas. Nós estamos fazendo a nossa parte. Estamos fazendo aquilo que nos cabe, junto com o Governo Federal e com outros parceiros da iniciativa privada, mas se não houver consciência das pessoas da necessidade de se evitar aglomerações, vai chegar um momento em que o Estado não vai ter condições de atender a todos. Essa é uma responsabilidade de cada um”, enfatizou Wilson Lima.

O governador também destacou que diariamente vem intensificando o trabalho para ampliação de leitos na rede estadual de saúde. “Nossas equipes têm virado praticamente 24h no trabalho incansável para ampliar a nossa rede hospitalar de atendimento. Tenho conversado com os órgãos de controle, os diretores de hospitais, seja da nossa rede pública ou da rede privada para que possamos encontrar caminhos de resolver essas situações ou de minimizar o máximo que a gente puder de pessoas infectadas”, explicou o governador.

O estado atingiu na terça-feira (29/12) o maior número de internações realizadas num período de 24 horas, em Manaus, na história da pandemia no Amazonas. Foram 112 internações. Até então, o maior número de internações no estado havia sido de 105, registrado na capital no dia 04 de maio, quando o Amazonas enfrentava o pico da pandemia de Covid-19.

28 de agosto

O Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto iniciou também a reorganização de leitos para atender à crescente demanda de pacientes com suspeita de Covid-19. A unidade irá aumentar de 12 para 40 o número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), triplicando a oferta. O quantitativo de leitos clínicos Covid também será ampliado de 16 para 42, um crescimento de 160%.

“Desde março até hoje nós estamos ampliando a rede para o combate à Covid-19. Vale ressaltar que, nos meses de julho e agosto, tivemos uma redução drástica do número de casos e internações, tanto que o Delphina Aziz chegou a 40% de taxa de ocupação, o que nos levou inclusive a elaborar um plano de retomada dos atendimentos na unidade. No entanto, no mês de setembro houve aumento de casos em função das aglomerações. Nós paralisamos o plano de retomada para outras doenças e elaboramos um Plano de Contingência para esse momento que estamos enfrentando agora”, afirmou o secretário da SES-AM, Marcellus Campêlo.

O secretário de Saúde explicou que o Plano de Contingência abrange cinco fases, sendo que a quarta fase já foi iniciada. “A quinta fase prevê um sistema agudo de atendimento na rede, suspensão total de qualquer atendimento que não seja Covid, e queremos evitar que isso aconteça. Você que está nos ouvindo, evite aglomerações para evitar que cheguemos na quinta fase e tenhamos que paralisar todas as atividades, porque as outras causas de doença continuam acontecendo, como os acidentes de trânsito, entre outras”.

O Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto iniciou a reorganização de leitos para atender a crescente demanda de pacientes com suspeita de Covid-19, nesta terça-feira (29/12), como parte da quarta fase do plano de contingência para o Período Sazonal da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). A unidade de porta aberta da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) irá aumentar de 12 para 40 o número de Unidades de Terapia Intensiva (UTI), triplicando a oferta de leitos. O quantitativo de leitos clínicos Covid também serão ampliados de 16 para 42, um crescimento de 160%.

A crescente demanda por leitos, em razão da alta circulação de pessoas e disseminação do vírus, está impactando a unidade que também está recebendo pacientes de causas evitáveis, como acidentes de trânsito. Somente neste mês de dezembro foram 13 mil atendimento de todas as causas na unidade. Por isso a necessidade da colaboração da sociedade para não participar de aglomerações e manter o uso de máscaras, cobrindo boca e nariz.

A atual fase do Plano de Contingência do Estado já prevê a mudança do perfil das unidades, afim de atender prioritariamente os pacientes acometidos pela Covid-19, neste pico da pandemia. O secretário de Saúde, Marcellus Campêlo, explicou o movimento. “Estamos trabalhando toda uma rede, toda a capacidade instalada para o atendimento da Covid, prioritariamente neste pico de alta neste final do ano”, disse o secretário da SES-AM.

Para a reorganização, a unidade fez uma grande força-tarefa para agilizar atendimentos, exames e procedimento que possibilitaram cerca de 20 altas médicas, além da transferência de pacientes estáveis para hospitais de retaguarda da rede estadual de saúde.

“Vamos aumentar a capacidade de leitos de UTI e Clínicos com essa organização, graças a transferências de pacientes não Covid para unidades como Geraldo da Rocha, Adriano Jorge e Getúlio Vargas”, explicou a diretora da unidade, Julia Marques.

As novas alas foram higienizadas e preparadas, com equipamento e pessoal, para receber os pacientes acometidos pela Covid-19. As unidades utilizam de fluxos diferenciados, segregando pacientes Covid-19 em alas separadas dos demais pacientes não-Covid.

Outras melhorias

Recurso utilizado no pico da pandemia para melhorar o fluxo de atendimento de pacientes com sintomas respiratórios, tendas externas de triagem voltam a funcionar nos Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) 28 de Agosto e Platão Araújo a partir desta semana. A estratégia foi bem sucedida durante o pico da pandemia no estado e, por isso, a SES-AM está se antecipando na instalação da estrutura, para futuras necessidades.

Para o atendimento da população, uma equipe multiprofissional, com assistentes sociais, psicólogos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, dará apoio nas tendas.

O atendimento a pacientes e familiares nas tendas de triagem será realizado em tempo integral, com equipes de plantão 24h, tanto na porta de entrada das unidades quanto no atendimento às famílias em busca de informação e no pós-óbito dos pacientes internados nesses hospitais.

Os profissionais que vão atuar nas unidades passaram por um treinamento na sede da SES, nesta terça-feira (29/12), para receber atualização e orientação sobre o fluxo de atendimento, humanização e cuidados com os pacientes e familiares.

HUGV

O governador Wilson Lima também anunciou, na terça-feira (29/12), que o Hospital Getúlio Vargas (HUGV) passa a ofertar 27 leitos, sendo 10 de UTI e 17 leitos clínicos, para pacientes com Covid-19. Essa expansão faz parte do Plano de Contingência do Governo do Amazonas para reforçar a rede de saúde, tendo em vista o aumento no número de casos e sobrecarga dos hospitais particulares e da rede pública.
 
A oferta de leitos no HUGV é fruto de convênio de contratualização firmado, no dia 16 de dezembro, em Brasília, pelo Governo do Estado com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) para ampliação da oferta de consultas ambulatoriais e cirurgias no hospital.
 
“Essa ampliação é resultado daquele compromisso que firmamos com a Ebserh, e hoje nós estamos recebendo esses leitos de UTI que estão entrando na nossa regulação para atender exclusivamente pacientes acometidos pela Covid-19”, explicou o governador. 
 
“Estamos também trabalhando em parceria com essa unidade para abrir mais leitos, em relação a um trabalho de cooperação, de insumos e de recursos humanos. É dessa forma que vamos ampliando a nossa rede para que possamos trabalhar de forma conjunta”, completou.
 
Wilson Lima reafirmou o compromisso de sua gestão com a reestruturação da rede de saúde para atender à demanda existente no estado.
 
“Estamos colocando em prática o nosso plano de contingência, fazendo parcerias e otimizando aqueles espaços em que a gente pode transformar para Covid-19. Estamos fazendo parcerias com o Governo Federal, que tem prestado uma ajuda muito significativa para o povo do Amazonas, assim como com a iniciativa privada, com instituições, como a Beneficente Portuguesa, para que possamos aumentar o máximo possível a nossa capacidade de atendimento”, enfatizou Wilson Lima.
 
Há a expectativa de mais 10 leitos de UTI e 17 leitos clínicos, de acordo com a necessidade, o que pode chegar a um total de 20 leitos de UTI e 34 clínicos.
 
“Estamos preparando o apoio do HUGV para a abertura de mais leitos de UTI e clínicos. O HUGV é importante para essa fase de reorganização, e hoje finalmente ele faz parte da rede estadual de saúde de uma forma contratual de 75% regulada. A partir de agora temos também uma ala de leitos para Covid-19 para atender a população de Manaus nesse momento de pico da pandemia”, explicou o secretário da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM), Marcellus Campêlo.
 
Estrutura
O HUGV é uma unidade referência para o atendimento de alta complexidade cardiovascular, cirurgia vascular, nefrologia, neurologia, neurocirurgia e cirurgia oncológica. O hospital também oferece cerca de 70 serviços em especialidades médicas como traumatologia, ortopedia, oftalmologia, pneumologia, hemoterapia, endocrinologia, patologia, urologia, entre outras. 
 
“Esse apoio é muito importante para o estado e para o hospital Getúlio Vargas, em uma época em que estamos vivenciando essa crise da Covid-19. Estamos para ajudar nossa população e o Governo do Estado”, afirmou o superintendente do HUGV, Júlio Mário de Melo e Lima.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta