Wilson diz ao TCE-AM que, se não houver avanços em Brasília, vai comprar a vacina contra a Covid-19

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no print

O governador Wilson Lima (PSC) disse a membros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que pediram audiência com ele hoje para questioná-lo sobre iniciativas para combater o recrudescimento da pandemia da Covid-19 no Amazonas, que os insumos (agulhas e ampolas) para uma futura vacinação no Estado já estão sendo adquiridos. Ele espera que o governo federal compre a vacina até o final de janeiro, mas disse que, se não houver avanço nas tratativas para a obtenção, vai comprar a medicação, uma vez que há recursos – R$ 150 milhões – reservados para esse fim.

Preocupado com a aumento de caso de  Covid-19 no Amazonas e motivados por dezenas de demandas da sociedade à Ouvidoria do TCE sobre a vacinação contra a doença no Estado, o presidente do TCE, conselheiro Mario de Mello, o ouvidor-geral, Érico Desterro, a relatora das contas da Secretaria de Estado da Saúde, conselheira Yara Lins dos Santos, e o procurador-geral de Contas, João Barroso, reuniram-se, no final da manhã desta terça-feira (29), com o governador, o secretário de Saúde, Marcellus Campêlo, e a diretora-presidente da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto.

Ao acrescentar mais informações na reunião, a diretora-presidente da Fundação de Vigilância Sanitária (FVS-AM), Rosemary Costa Pinto, informou aos conselheiros que câmaras frigoríficas serão locadas para acondicionar as vacinas, que serão distribuídas aos amazonenses.

A expectativa da FVS e SES é iniciar a vacinação na população no final de janeiro ou primeira quinzena de fevereiro, iniciando pelo grupo de risco e profissionais de saúde.

Após o conselheiro Érico Desterro abordar sobre as demandas enviadas à Ouvidoria do TCE e falar da preocupação com o aumento de caso de Covid no Estado, o conselheiro-presidente Mario de Mello colocou o TCE, com todos os seus técnicos, à disposição do governo do Estado para colaborar com a execução do planejamento de vacinação e combate à  Covid.

“Iremos acompanhar todo o trabalho. Como órgão de controle e membro-titular da Rede de Controle do Amazonas, o TCE irá colaborar naquilo que for possível, dentro da legalidade, para que o Estado afaste, de uma vez por todas, essa doença que tem abatido e preocupado a população”, finalizou o presidente do TCE-AM.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta