Governo diz que não apoia festas em Rio Preto e MPAM vai à Justiça contra elas

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

O Ministério Público do Estado, por meio do promotor Vivaldo Castro, entrou com uma Ação Civil Pública ontem para tentar barrar a iniciativa do prefeito Anderson Souza (Progressistas), de promover dois grandes eventos na cidade, a 70 quilômetros de Manaus: a Marcha para Jesus e o Réveillon, ambas em ambiente aberto, onde é impossível o controle de acesso. O Governo do Estado, em contato com o blog, disse que desautorizou a utilização de sua logomarca no material de divulgação e negou o apoio às festas naquele município.

Ainda no dia 23 de dezembro, antes mesmo do Natal, o secretário de Estado da Cultura, Marcos Apolo Muniz, encaminhou o ofício de número 904/GS/SEC ao prefeito Anderson Souza, solicitando a retirada da logomarca do Estado do material de divulgação dos eventos.  “Tendo em vista que o Governo do Estado não esta apoiando a realização, solicitamos a V.Exa. a retirada da Logomarca dos folders, cartazes, mídias sociais e qualquer outro material de divulgação”, diz o texto.

Souza, que é conhecido como “prefeito ostentação”, por gostar de se exibir em festas e eventos, foi reeleito com uma gestão que privilegiou muito a realização de grandes concentrações populares, em que dispendeu muito recurso público. Ele defendeu a iniciativa, que pode ter um grande impacto na própria capital, dizendo que “as oito UBS do município estão equipadas com leitos”, já prevendo um pico de contaminação.

O principal temor das autoridades é de que os eventos em Rio Preto transformem-se numa bomba contaminadora tanto para o próprio município quanto para os vizinhos, principalmente a capital, que não terá programação festiva na data, o que pode servir como incentivo para que várias pessoas de desloquem até lá.

Anderson Souza não está nem um pouco preocupado com isso.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta