Começa hoje a primeira Feira Literária do Amazonas, que vai até depois do Natal

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on print

Idealizada pelo Coletivo Visagem de Escritores de Fantasia e Ficção Científica, a I FLAMA (Feira Literária do Amazonas) nasce com a proposta de veicular a produção independente de artistas literários da região Norte, em formato virtual, entre os dias 18, 19, 20 e 26 de dezembro, com transmissão ao vivo pelo canal do Youtube do Coletivo Visagem. A imagem acima, feita antes da pandemia, é do encontro de leitores que deu origem ao evento atual.

Financiada pelo Prêmio Manaus de Conexões Culturais, via Lei Aldir Blanc, promovido pela Manauscult, a I FLAMA reúne uma programação diversa, com bate-papos, oficinas, saraus e lançamentos de livros, tudo em formato gratuito e com certificação de horas.

Um dos destaques da FLAMA é o lançamento gratuito do e-book “Encantarias vol. 1: histórias de uma Amazônia futurista”, primeira publicação do Coletivo Visagem com contos assinados por autores como Jan Santos (“O dia em que enterrei Miguel Arcanjo”), Leila Plácido (“Quase o fim”), Carol Peace ("A Ponte"), Dante Saboia ("2084: Mundos cyberpunks"), Luiz Andrade ("Belas Águas Tristes"), e Jefter Haad ("As pitorescas aventuras do Mamelinho"), com edição e revisão de Tammy Rosas e design por Yan Bentes. O livro também contará com formato audiobook, disponibilizado gratuitamente via Youtube.

Para Tammy Rosas, produtora cultural e membro do Coletivo Visagem, a FLAMA é a realização de um sonho. “Quando imaginei uma Feira Literária Amazonense, lá pelos altos de 2013, tinha acabado de me inserir no mundo editorial de maneira profissional, criando conteúdo, produzindo eventos e divulgando autores nacionais. Logo, esse sonho parecia impossível. Com o passar do tempo fui conhecendo novos artistas, entre eles, o Jan. A nossa amizade transborda para o profissional e eu sou grata por isso. A FLAMA só é possível graças aos amigos profissionais incríveis que compartilham esse sonho comigo. Cada um tem um traço importante dentro desse sonho e espero que ano que vem cresça ainda mais. Espero também, que possamos abraçar e dividir voz com mais escritores, quadrinistas, roteiristas e ilustradores, não só do Amazonas, mas de toda a região norte”.

Segundo Jan Santos, escritor e membro do Coletivo Visagem, a ideia é que a I FLAMA preencha um espaço no cenário cultural de Manaus: “Tivemos, em 2012, nossa única bienal, que não teve prosseguimento. A Feira do Livro de Manaus durou por três edições antes de ser encerrada, e a Feira do SESC, no momento, é um dos poucos eventos de grande porte que mantêm a literatura local em evidência. Tentamos, na melhor de nossas possibilidades, mudar isso, e a FLAMA nasce do desejo de fazermos isso de maneira independente, a partir de uma proposta coletiva”.

Entre os convidados para a primeira edição da FLAMA, estão a ilustradora paraense Ty Silva, o produtor de conteúdo literário Eduardo Alves, da página @textamento, e o folclorista Andriolli Costa, do site O Colecionador de Sacis. O evento será mediado por Tammy Rosas e a programação será desenvolvida pelos demais membros do próprio Coletivo Visagem.

Coletivo Visagem

O coletivo vem com a proposta de articular ações e iniciativas de alguns dos escritores de Fantasia e Ficção Científica de Manaus, com o objetivo de potencializar o alcance de cada uma.

A ideia, conforme Jan Santos, nasceu do fato de que todos os participantes, a maioria “lobos solitários”, poderiam fazer mais pelo próprio trabalho e pelo fomento da prática da leitura e da escrita em Manaus se trabalhassem juntos, se pensassem juntos, a fim de destacar a potencialidade da Literatura manauara para a Fantasia e a Ficção Científica.

Atualmente, o coletivo conta com escritores das mais diversas vertentes da fantasia, incluindo Jan Santos (autor de "O dia em que enterrei Miguel Arcanjo e outros contos de fadas"), Tammy Rosas (produtora cultural), Carol Peace ("A Ponte"), Dante Saboia ("2084: Mundos cyberpunks"), Luiz Andrade ("Trovão"), Rafael Rodrigues ("Cat Spirit), Jefter Haad ("Daemonun Sigillum"), Leila Plácido ("Quase o fim"), Lucas Barbosa ("Amaimon") e Tom de Oliveira (Eu sou Ar e Tom).

Nascido em setembro de 2019, o coletivo já articula número considerável de ações, entre elas a publicação da revista eletrônica Folharal, com produção criativa de artistas independentes da cidade (a primeira edição será lançada em Dezembro), o Clubinho da Madrugada, projeto social que leva oficinas e minicursos de escrita e leitura para escolas e demais instituições públicas, e os ELFA – Encontro de Literatura Fantástica, reuniões temáticas de caráter bimestral realizadas em parceria com a Biblioteca Pública do Amazonas, que visam reunir os amantes do gênero.

amantes do gênero.

Qual Sua Opinião? Comente:

Deixe uma resposta