Hora de passar o país a limpo

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

Os movimentos populares que constantemente vem eclodindo em quase todo território nacional merecem o nosso respeito e admiração, enquanto os objetivos visados sejam a exteriorização ordeira da indignação do povo contra os desmandos, a corrupção, a violência, a impunidade e outras tantas mazelas que se multiplicam a cada dia e que já perduram por décadas e décadas. Que as autoridades constituintes responsáveis por conduzirem a nação, se dispam das vaidades efêmeras e entendam claramente o recado que vem das ruas, para depois não lamentarem o leite derramado.
A paciência da nação está se esgotando e a tolerância cada vez diminui mais.

No meio dessa multidão indignada que pugna por um país mais justo onde a Constituição seja respeitada e a harmonia entre os poderes uma realidade patente e não uma mera obra de ficção, não há espaço para vândalos cujos objetivos estão focados na desordem, na destruição do patrimônio público e privado e na deposição de um governo constituído rigorosamente segundo as regras democráticas vigentes. Contra a fúria desmedida dessa cambada de marginais desordeiros cuja expressiva maioria vive na impunidade assegurada pelo manto complacente e conivente da Justiça, é preciso dá um basta. É inadmissível que o nosso Judiciário proíba a incursão da polícia nas favelas , onde exatamente estão localizados os quartéis do tráfico. Por que será? A história um dia contará.

O barulho que o povo faz nas ruas, apesar de ensurdecedor, soa como uma música suave que inebria os nossos sentimentos mais recônditos , porque ele é a voz da cidadania se multiplicando em escala geométrica , e a propagação do seu som faz despertar dentro de cada um de nós, cada vez mais, o sentimento patriótico a tanto tempo adormecido ou anestesiado.

Aproxima-se o dia em que o povo vai ter a oportunidade ímpar de começar a passar esse país a limpo. É agora ou nunca! As eleições para a renovação dos quadros políticos da esfera municipal estão prestes a se realizarem, e os vereadores e prefeitos se constituem na base onde se sedimenta os alicerces da Democracia. Se fizermos a escolha certa, com certeza os candidatos oportunistas, os políticos de carreira, aqueles que consideram o povo como gado eleitoral , garrote serrado, como sendo um feudo que lhe pertence, podendo se aprouver do mesmo da forma que melhor lhe convier, não mais virão a compor o próximo parlamento, pois serão execrados da política para o bem da nação e consolidação do regime democrático. Os pulhas precisam ser expurgados do meio dos políticos honestos para que não contaminem os poucos que ainda existem no parlamento. A limpeza deve começar por alijar todos aqueles que pertencem a partidos comprometidos com os desmandos e conchavos espúrios. Esses partidos não são legendas políticas, são organizações criminosas criadas pelos sindicatos do crime cujo principal objetivo é dar proteção e guarita aos bandidos das mais variadas castas, aqueles que trocam seu apoio para evitar que os seus colegas delinquentes sejam punidos, recebendo dinheiro sujo por conta desse escambo vergonhoso. A renovação começa por enxotar da vida pública esses canalhas. Essa missão é nossa! Sejamos responsáveis! Não deleguemos a bandidos o poder que nos pertence. Nessa eleição, marquemos um gol de placa escolhendo bem os candidatos que nos representarão durante os próximos quatro anos e chutemos para fora todos os corruptos e incompetentes políticos de profissão.

Elejamos entre os melhores candidatos aqueles que irão controlar o destino de nossos municípios durante os próximos quatro anos, pois eles terão influência nas próximas eleições majoritárias. Seguindo a regra racional da escolha certa dos dirigentes municipais, quando for realizado o pleito para a eleição dos futuros governadores, dos deputados estaduais e federais, senadores e do próprio presidente da república, também serão eleitos os políticos de melhor qualidade, pois seguirá a sequência natural das coisas.

Ruy já dizia em 1920: “ De tanto ver triunfar as nulidades; De tanto ver prosperar a desonra; De tanto ver crescer a injustiça; De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto “.Chega de cometermos a mesmice durante tanto tempo escolhendo corruptos e incompetentes para dirigir os destinos da nação. Precisamos dá um basta nessa sequência irresponsável de má escolha de nossos mandatários, pois a nação precisa respirar honestidade, trabalho, patriotismo e civismo, se quisermos legar às nossas gerações futuras um país do qual possam se orgulhar.

Deus se apiede de nosso país dando a seu povo a sabedoria necessária para saber escolher o melhor.

Que o Brasil esteja sempre acima de tudo e Deus acima de todos.

Avante Brasil!

*O autor é empresário aposentado ([email protected])

Qual Sua Opinião? Comente: