Ministro dos Transportes reafirma compromissos ao receber título

O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Valter Casimiro Silveira, é o novo Cidadão do Amazonas. A honraria foi concedida na manhã desta quinta-feira, 9, a partir de uma iniciativa do deputado Adjuto Afonso (PDT), em cerimônia presidida pelo deputado David Almeida (PSB). Adjuto Afonso justificou a homenagem destacando o trabalho do ministro enquanto exerceu o cargo de Diretor-Geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), na manutenção das estradas da região que aguardam pavimentação. O ministro falou sobre o trabalho pela pavimentação da BR 319.
“Estamos homenageando o ministro Casimiro, não porque é ministro, pois quando fizemos a proposta nesta Casa, o Valter era do DNIT, é funcionário de carreira desde 2006 e hoje está ministro, mas foi diretor-geral do órgão. Nós, do Amazonas, Rondônia, Acre, temos essas estradas, a BR 319, a 230, que liga Humaitá à Lábrea, a 317, que liga o Acre ao Amazonas, todas tem trafegabilidade porque passam por manutenção a partir de um trabalho do DNIT. Na sua gestão essas estradas estão tendo conservação. Se não foi possível ainda asfaltar, pelo menos a manutenção tem que existir, e o Valter tem feito isso com muita competência”, disse Adjuto Afonso.
O deputado Adjuto Afonso relembrou que no inicio deste ano integrou uma comitiva que se deslocou à BR 319, sob a liderança de Valter Casimiro, com objetivo de vistoriar a trafegabilidade da rodovia. “Este ano eu tive o prazer de acompanhá-lo numa comitiva, de Porto Velho a Manaus, pela BR 319, e ali eu me convenci que ele tinha que ser Cidadão do Amazonas, pelo seu conhecimento e dedicação por essas estradas da região. Nós sabemos que estrada na região amazônica é muito difícil”, destacou.
O Ministro dos Transportes, Valter Casimiro, em seu pronunciamento, agradeceu o autor da propositura, deputado Adjuto Afonso, destacando, também o deputado Sabá Reis, seu colega do DNIT.
“Agradeço ao deputado Adjuto pela homenagem. É com muita emoção que venho aqui, no Estado do Amazonas, receber esse título. Já tive oportunidade de estar nessa Casa pra fazer prestação de contas do trabalho que o DNIT e o Ministério dos Transportes vem fazendo pelo Amazonas. Mas, a sensação de estar aqui, hoje, recebendo esse título de um Estado que eu ajudei a melhorar a infraestrutura logística, isso me traz uma felicidade imensurável. Só quem recebe um título e conhece o Estado do Amazonas sabe do que eu estou falando. Aqui comecei minha carreira no DNIT, viajando para Tabatinga, Coari, vendo o estado dos nossos terminais rodoviários, implantando um programa para dar dignidade à população do interior do Amazonas”, ressaltou o Ministro dos Transportes.
Ele também demonstrou conhecimento quanto à realidade do interior do Estado e reconhece que há muito ainda a se fazer pela região. “Os meus irmãos amazonenses sabem do que eu estou falando, a maioria do povo brasileiro não sabe da realidade do amazonense, não sabe o que é chegar numa embarcação, no interior do Amazonas, descer num barranco, numa tábua de 30cm com filho no colo, com saco de farinha nas costas, caindo na água, não tendo o mínimo de dignidade. Vejo a dívida que o governo tem com essas pessoas, com o Estado do Amazonas, com a região Norte. Muito me orgulha receber esse título e ser irmão do povo amazonense, porque sei a luta desse povo”, disse o Ministro.
SOBRE A BR 319 
Em entrevista após a Sessão Especial, o Ministro revelou alguns tramites da situação atual da BR 319, que se configura como uma das principais demandas pendentes no Estado do Amazonas em relação à infraestrutura.
“O DNIT já apresentou dois projetos ao IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), que não foram aceitos, pediram complementações, que estão sendo feitas, uma delas é o Estudo de Impacto Ambiental Indígena das comunidades que ficam próximas à BR. A burocracia demora um pouco mais nas autorizações para entrar nas terras indígenas e fazer esses estudos, mas estamos fazendo isso, a ideia é de que se conclua o mais rápido possível, para que possamos ter o licenciamento e a pavimentação”, explicou o Ministro Valter Casimiro.
Sobre um prazo mais definido para o início das obras, o Ministro dos Transportes informou que até o ano de 2019 as obras deverão sair do papel. “A ideia é de que a gente termine no início do ano que vem esse estudo para poder apresentar ao IBAMA junto com a complementação do EIA-RIMA, e espero que no início do ano que vem já tenha essa autorização do IBAMA para poder alocar recursos, já no ano que vem mesmo, e iniciar a obra de pavimentação do trecho do meio da BR 319”, concluiu ele.
Além do deputado Sabá Reis (PR), os deputados Sidney Leite (PSD), Cabo Maciel (PR), Augusto Ferraz (DEM), Orlando Cidade (PV) e Sinésio Campos (PT) fizeram pronunciamentos durante a Sessão Especial.
Ao lado do presidente da Aleam, deputado David Almeida, fizeram parte da Mesa o Diretor-Presidente da Superintendência Estadual de Navegação, Francisco Assis Santos Soares (Jornada), que representou o Governo do Estado; o Superintendente Regional de Infraestrutura de Transportes, Fábio Galvão; e, o Secretário Tesoureiro da Federação das Indústrias, deputado Orlando Cidade.

 

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

LEAVE A REPLY